Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Corinthians contará com força máxima no clássico

Corinthians contará com força máxima no clássico
27/02/2010 05:17 -


Corinthians terá a chance de repetir uma escalação pela primeira vez na temporada. Após a vitória sobre o Racing, na estreia na Copa Libertadores da América, o técnico Mano Menezes pretende escalar novamente seus principais jogadores no clássico contra o Santos, amanhã, na Vila Belmiro. O treinador não quis confirmar a sua formação para a partida, mas adiantou que Ronaldo estará em campo. O lateral direito Alessandro e o atacante Jorge Henrique, que deixaram o Pacaembu com dores diante do Racing, também não foram vetados. O único desfalque da formação titular do Corinthians no clássico será o meia Danilo, que ainda se recupera de lesão muscular na coxa esquerda. Robinho O Santos ainda não desistiu de contar com Robinho, mas o atacante não deve mesmo participar do clássico contra o Corinthians. O Peixe fez um pedido à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para que adiasse a apresentação do “Rei das Pedaladas” para o amistoso diante da Irlanda, terça-feira, em Londres, de hoje para domingo, após o clássico. No entanto, até o fim da tarde de ontem, o clube não havia obtido resposta do presidente da entidade, Ricardo Teixeira. Indagado sobre o assunto, o presidente santista, Luis Álvaro de Oliveira não admitiu que o craque seja desfalque da equipe diante do Timão. Mas, durante o treinamento coletivo de ontem, Robinho não participou da atividade. No entanto, apesar de não ter “jogado a toalha” oficialmente, o dirigente alvinegro praticamente admitiu, no final da entrevista, que o “Rei das Pedaladas” não deve estar em campo.

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?