Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 21 de setembro de 2018

Copom encerra ciclo de alta e mantém juros em 10,75%

2 SET 2010Por 20h:50
São Paulo

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu, por unanimidade, manter a taxa básica de juros inalterada em 10,75% ao ano. A decisão interrompe o que deve ser o último ciclo de aperto monetário do governo Lula, que começou em abril deste ano. Na época, os juros estavam em 8,75% ao ano, menor nível da história.
A expectativa do mercado financeiro, no entanto, é que o BC deixe de herança para o próximo governo a tarefa de promover uma nova rodada de aumento da taxa no início de 2011. Há mais duas reuniões do Copom neste ano.
A decisão de hoje já era esperada pela maioria dos economistas. Agora, a expectativa do mercado é que os juros voltem a subir em janeiro e terminem o próximo ano em 11,50%.
A manutenção da taxa básica reflete a avaliação do Copom de que a economia brasileira teve forte desaceleração no último trimestre, quando cresceu a uma taxa próxima de 1%, abaixo dos quase 3% registrados no começo do ano.
O dado oficial sobre o PIB (soma dos bens e serviços produzidos no país) do segundo trimestre será divulgado amanhã pelo IBGE.
Também pesaram na decisão a queda da inflação, devido ao recuo no preço dos alimentos, e a ainda fraca recuperação da economia internacional.
Ao contrário do que ocorreu na última reunião, em julho, não houve divergências entre o discurso do BC sobre a inflação e a decisão do Copom.
Analistas preveem que a economia voltará a se acelerar ainda neste ano, assim como os preços, o que obrigará o próximo governo a elevar os juros para controlar a inflação.

Histórico
Durante os oito anos de governo Lula, houve quatro ciclos de aumento da taxa básica, que estava em 25% ao ano em 2002. O patamar mais alto foi atingido em fevereiro de 2003 (26,5%). O mais baixo, em julho de 2009 (8,75%), após a crise econômica iniciada em 2008.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também