ESPORTES

Copa MS começa em outubro e contará com cinco equipes

Copa MS começa em outubro e contará com cinco equipes
02/09/2010 20:46 -


A Copa MS de futebol, competição que servirá de seletiva para a vaga sul-mato-grossense na Série D do Campeonato Brasileiro em 2011, terá cinco equipes, e começa em 9 de outubro. A fórmula de disputa e o calendário do certame foram definidos ontem pela Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul.
Cene, Águia Negra, Corumbaense, Maracaju e Sidrolândia confirmaram presença na competição. Os times jogarão entre si, em turno e returno, até o dia 12 de dezembro. Conquista a vaga para a Série D do Brasileirão, a equipe que fizer mais pontos.
Até o fim da tarde de terça-feira, apenas Cene, Maracaju e Sidrolândia tinham confirmado presença na competição. Ontem, Corumbaense e Águia Negra, equipes que já haviam demonstrado interesse em participar, regularizaram as pendências financeiras que tinham com a federação de futebol, e também garantiram vaga na Copa MS.
“Será um evento importante para movimentar o calendário local neste segundo semestre. Também é um caminho mais fácil para os clubes do Estado que querem participar de competições nacionais”, disse Marco Antônio Tavares, vice-presidente e diretor-técnico da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul.
Já o presidente da entidade, Francisco Cezário, afirmou que não há a possibilidade de mudanças nas regras e a Copa MS será mesmo seletiva para o Brasileiro do próximjo ano. “Os clubes foram avisados com bastante antecedência e aqueles que decidiram não participar não poderão reclamar depois”, afirmou o dirigente. (EM)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".