sexta, 20 de julho de 2018

APOSENTADORIA

Cooperativa ampliará abate em 85% com financiamento

3 DEZ 2010Por ADRIANA MOLINA00h:00

Recurso de R$ 15 milhões foi aprovado, ontem, pelo Conselho Estadual de Investimentos Financiados pelo Fundo Constitucional do Centro Oeste (Ceif-FCO), para projeto de ampliação da Cooperativa Agropecuária de São Gabriel do Oeste (Coasgo). O financiamento vai consolidar o projeto, que elevará a produção em 85%, saltando de 1.350 suínos destinados ao abate por dia, para 2,5 mil animais.

O montante será usado na aquisição de 2,7 mil matrizes suínas e outros 60 reprodutores e na construção de 37 galpões de terminação com capacidade de mil animais cada. Serão criados cerca de 100 novos postos de trabalho.

"Também serão beneficiados assentados do Assentamento Campanário. Lá a cooperativa deverá instalar 10 das 37 granjas de terminação, promovendo a integração na região e promovendo a consolidação da suinocultura no polo de desenvolvimento do norte do Estado", explicou o secretário executivo do Ceif-FCO, Jerônimo Alves Chaves.

Outros projetos
Na mesma reunião em que o recurso da Coasgo foi aprovado, também receberam recursos do FCO outras 126 cartas consultas. No total, o conselho liberou R$ 56,3 milhões entre projetos empresariais e rurais.

Em destaque a construção do Hospital de Olhos da Grande Dourados que, segundo Chaves, deverá levar serviços especializados à região sul, reduzindo a centralização de atendimentos médicos relacionados à visão em Campo Grande. O empreendimento recebeu do fundo R$ 4,3 milhões e faz parte dos seis projetos do setor de comércio e serviços aprovados pelo FCO, que beneficiarão a Capital Chapadão do Sul, Maracaju, além de Dourados, num total de R$ 13,9 milhões.

No setor rural, 11 projetos de recuperação de pastagens, ampliação de armazéns, aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas beneficiarão 12 municípios de Mato Grosso do Sul. A recomposição de áreas de preservação permanente em Amambai, no valor de R$ 65 mil foi um dos destaques, por inserir na pauta o pleito de recursos do FCO para investimento em meio ambiente, com a revitalização de mata ciliar e recuperação de uma lagoa na Fazenda Lagoa Bonita. A propriedade ainda recebeu redução nas taxas de juros do financiamento, que chega a 8,5% para apenas 4% ao ano.

Leia Também