Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

FINANÇAS

Controle orçamentário evita começo de ano no vermelho

17 JAN 2011Por ADRIANA MOLINA00h:00

Todo início de ano, o pagamento dos impostos Predial e Territorial Urbano (IPTU) e sobre Propriedade Veicular (IPVA), matrícula e material escolar tiram o sono de muitos chefes de família que já começam janeiro com o saldo negativo por conta dos gastos de dezembro. A soma dessas despesas pesa no bolso dos consumidores e faz com que busquem meios alternativos para conseguir arcar com tudo.

As saídas encontradas vão desde empréstimos bancários a até priorizar algumas contas e atrasar outras. Alguns, como a dona de casa Eunice Fagundes, vão em busca de renda extra para não deixar nada pendente. "Meu marido é quem trabalha em casa, mas quando acontece de apertar assim, a gente reduz despesas aqui e ali e eu faço bombons para vender. Fazemos de tudo para não recorrer ao banco e não deixar nada atrasado" conta.

Já a microempresária Teodora Aparecida Benitez se programa antecipadamente e garante que não há susto quando recebe os boletos. "Sou muito econômica, no ano anterior já calculo as contas e me organizo para quitar. Sempre penso no futuro", diz.

E é justamente o método utilizado por Teodora o recomendado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Organização é a palavra de ordem, segundo a economista do órgão, Ione Amorim, para que as contas estejam em dia e não comprometam o orçamento doméstico do ano todo.

"Organizar as despesas é uma forma muito eficiente de manter o equilíbrio financeiro e evitar endividamento", ressalta Ione. Ela é responsável pela elaboração de uma planilha disponibilizada no site da entidade (www.idec.org.br), que tem como finalidade auxiliar o consumidor nessa tarefa.

A partir da listagem das despesas na planilha, o Idec orienta o consumidor a priorizar as contas com datas de vencimento mais próximas e também as que cobram juros muito altos. É preciso considerar também que, além das contas extras do primeiro mês do ano, existem despesas essenciais, como água, luz, telefone, condomínio e transporte.

De acordo com Ione, o planejamento permite que o consumidor tenha uma percepção mais clara de para onde vai seu dinheiro e, dessa forma, auxilia no corte de gastos e na criação de reservas financeiras.

Leia Também