Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Abuso

Consumo de etanol caiu 80% em MS após seguidas altas

11 MAI 2011Por Laís Camargo08h:23

O preço do álcool anidro subiu 182% nas usinas em menos de um ano. Em poucos meses o consumidor sentiu este impacto, já que o combustível representa 25% da composição da gasolina. Diante da disparada nos preços a queda no consumo nos postos chega a 80% no Estado.Os dados são do Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de Mato Grosso do Sul) que afirmou que o aumento da energia elétrica, reajuste dos salários dos funcionários e carga tributária é que impactam o custo dos revendedores.
 

Porém, na composição de preços dos combustíveis existem vários fatores. O diretor de comunicação do Sinpetro, Marcos Vilalba, afirma que a gasolina sai da Petrobras custando R$1. A partir daí, é possível ter noção de como acontece com o etanol. A parcela da Petrobras é de 28%, em ICMS acrescenta-se 26%, mais 13% vem de tributos federais; o custo bruto do álcool anidro soma 22% na conta e somente 11% do valor final é responsabilidade dos postos de combustíveis.
 

Nesta semana o Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciou queda imediata de preço do etanol. Contudo, o presidente do Sinpetro, Mário Shiraishi, explica que não é bem assim: “60% dos postos aqui são da Petrobras, eles fizeram estocagem do produto e só quando acabar é que se pode aplicar o preço novo”. O sindicato notou que os consumidores flex diminuíram em 80% a preferência por etanol.


Protesto
Na segunda-feira, cerca de 400 pessoas participaram do manifesto “Na Mesma Moeda” na Capital. Em carreata, saíram do Yotedy, no Parque das Nações e foram até postos de gasolina na Afonso Pena abastecer pagando apenas R$ 0,50 e pedindo nota fiscal. A manifestação foi pacífica e teve apoio dos donos dos postos, que também concordam que o preço dos combustíveis está abusivo.
 

Leia Também