Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 - 12h58min

Consumidor aproveita para comprar produto sem imposto

26 MAI 10 - 08h:30
Carlos Henrique Braga

Desconfiados, empresários de Campo Grande estranharam o primeiro Dia Sem Imposto e ficaram de fora da manifestação, mas os consumidores aproveitaram produtos com redução de preços nas três lojas que encararam o desafio ontem.
Elas responderam ao apelo dos organizadores, que convidaram duas mil para a campanha. Ao contrário de outras cidades que promoveram manifestações contra alta carga tributária nacional, nenhum posto de combustíveis disse sim ao Conselho de Jovens Empresários da Associação Comercial de Campo Grande.
A unidade da Avenida Mato Grosso da rede de fast-food Subway tirou do cardápio Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e tributos do regime de tributação Simples. Mais magros, o preço de sete tipos de sanduíches caiu de R$ 5,95 para R$ 3,80 (36% de desconto).
Na especializada em materiais de escritório Zornimat, as vendas de papel Ofício A4, único item participante, cresceu 15% em relação aos dias normais. Sem o ICMS pesando no preço final, o produto passou de R$ 112 para R$ 92. A gerente Priscila Aquino lamenta a baixa adesão dos comerciantes da cidade e creditou isso ao “medo de assumir o tanto de impostos que pagam”.
O temor, segundo membro do conselho, Rodrigo Bogamil, pode ser explicado pela má interpretação do manifesto. “Alguns lojistas tiveram medo de ser acusados de concorrência desleal pelo Ministério Público, mas falamos com o Ministério, que entendeu a campanha como manifestação legal”, explica Bogamil, que admite que o movimento deveria ter sido melhor explicado aos comerciantes. “O começo é difícil, no ano que vem eles já vão conhecer melhor a campanha”.
A coordenadora de marketing da empresa de materiais para construção Alvorada, Giovana Bigolin, vê a campanha como “forma de conscientizar os consumidores do quanto pagam de impostos”.
A loja isentou clientes de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), entre outros, e vendeu tintas que custam R$ 40 por pouco mais de R$ 29. O Kit de portão eletrônico teve redução de R$ 40, chegando a R$ 102,50. “Cada cliente pôde levar um produto, não é promoção, é conscientização, já estamos operando em margem negativa”, contou a coordenadora.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

Após três quedas seguidas, gasolina volta a subir em Campo Grande

Etanol apresentou redução e diesel ficou estável, segundo ANP
Candidatos chegam mais cedo por preocupação com mudança no horário
CONCURSO PÚBLICO

Candidatos chegam mais cedo por preocupação com horário

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul
ECONOMIA REGIONAL

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul

Em MS, 12 escolas estaduais oferecerão aulas em tempo integral
ENSINO MÉDIO

Em MS, 12 escolas oferecerão aulas em tempo integral

Mais Lidas