Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Conselho de Segurança da ONU debate situação na Ucrânia

Conselho de Segurança da ONU debate situação na Ucrânia
04/03/2014 07:49 - Agência Brasil


A situação na Ucrânia continua a evoluir rapidamente, com a Rússia deslocando mais tropas para a região enquanto as manifestações continuam em algumas partes do país. Foi o que disse hoje (3) o secretário-geral assistente das Nações Unidas (ONU) para Assuntos Políticos, Oscar Fernandez-Taranco, no Conselho de Segurança, que se reuniu novamente para discutir a crise ucraniana. Taranco disse que o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, continua envolvido com a situação na Ucrânia.

“Desde a exposição feita pelo secretário-geral adjunto a este conselho, no dia 1º de março, a situação na Ucrânia continuou a evoluir rapidamente. Entendemos que há uma contínua evolução das tropas russas na Crimeia e um número de bases militares da Ucrânia foi cercado pelas tropas russas. Além disso, a situação no Leste da Ucrânia continua instável, com relatos de manifestações em algumas cidades, bem como as tentativas dos grupos locais para assumir o controle de alguns prédios oficiais”, disse Taranco.

Taranco disse ao Conselho de Segurança que o secretário-geral da ONU ressaltou a extrema importância de restabelecer a calma para amenizar as tensões imediatamente através do diálogo. Ele disse que o secretário-geral substituto, Jan Eliasson, chegou à Ucrânia hoje e irá informar o secretário-geral sobre os próximos passos que a ONU poderá tomar para apoiar a melhoria da situação na Ucrânia.

Mais cedo, Ban Ki-moon e o ministro do Exterior russo, Sergey Lavrov, discutiram a crise na Ucrânia, durante uma reunião em Genebra. Eles debateram a importância da redução das tensões por meio do diálogo construtivo e significativo.

Felpuda


Tudo indica que o MDB não conseguiu convencer o PSDB de iniciar namoro com vistas a casamento nas eleições, e a ideia teria sido descartada. Os tucanos demonstraram que o problema deles não é o cargo: os emedebistas ofereceram a vaga de vice na disputa à Prefeitura de Campo Grande, a mesma cobiçada pelos tucanos, mas na chapa do PSD do atual prefeito. A questão, politicamente falando, seria, digamos, o oferecido “noivo”. Afe!