Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

Saúde

Conheça causas e tratamentos da calvície e queda de cabelo

30 NOV 2010Por Uol - Minha Vida07h:50

Todas as pessoas perdem cerca de 100 fios de cabelos por dia. Isso porque eles passam por três ciclos: crescimento, repouso e queda. A maior parte nunca está na mesma fase e, por isso, é normal que se perca alguns diariamente. A queda só vira um problema, tanto para homens quanto para mulheres, quando a quantidade de fios que vai embora é muito grande, causando redução de volume e aparecimento de entradas, a famosa calvície. A dermatologista Luciana Godoi, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, recomenda procurar ajuda médica logo que isso acontecer: "Quanto mais cedo a pessoa tiver tratamento, melhor o resultado".

A queda anormal, com desaparecimento de aproximadamente 300 fios ao dia, é denominada eflúvio telógeno. Alguns dos fatores responsáveis são estresse excessivo, disfunções da tireoide, infecções, gravidez, síndrome dos ovários policísticos, anemia, dificuldade na absorção de proteínas, dietas rígidas de emagrecimento, uso de quimioterápicos e micoses no couro cabeludo.

As causas da calvície são semelhantes, mas o seguinte fenômeno passa a ocorrer no organismo: a testosterona, ao atingir o couro cabeludo de pacientes com tendência genética, sofre a ação de uma enzima e transforma-se em outro hormônio, que leva à rarefação capilar, caracterizada pela diminuição progressiva e pelo afinamento dos fios.

A calvície ocorre tanto em homens quanto em mulheres, mas com mais frequência no sexo masculino. O problema pode aparecer em qualquer idade. Segundo Luciana, os primeiros sinais nos homens surgem em torno dos 20 anos. Nas mulheres, um pouco mais tarde, após a menopausa. A calvície masculina é caracterizada pela perda de fios nas entradas. A feminina, pela queda concentrada no centro da cabeça.

Estresse é um fator que pode acentuar a queda de cabelo. "Nesses casos, além de tratar com produtos adequados a queda em si, deve-se buscar diminuir a fonte de estresse e realizar atividades que aliviem, como esportes e hobbies. Dormir adequadamente também ajuda", aconselha Luciana.

Todas as causas, aliás, devem ser tratadas. Se é caso de anemia, por exemplo, deve-se repor ferro e outras substâncias em falta no organismo. Só quando o problema vem do envelhecimento, a solução é barrar os sintomas. "É preciso retardar o afinamento dos cabelos e aumento o volume de fios no couro cabeludo", orienta a dermatologista. Para isso, atualmente há três opções de medicamentos: alfaestradiol, finasterida e minoxidil. "São esses que apresentam estudos científicos que comprovam a eficácia do tratamento", explica.

Todos esses remédios têm efeitos colaterais. Alfaestradiol pode causar queimação, coceira e avermelhamento do couro cabeludo, já que é aplicado no local. Finasterida pode diminuir a libido e levar a disfunção erétil. Minoxidil pode dar hipertricose (crescimento não desejado de cabelos fora do couro cabeludo, inclusive na face de mulheres), coceira, pele seca, descamação do couro cabeludo, exacerbação temporária da perda de cabelos, dermatite alérgica de contato, foliculite e seborreia. Por isso é sempre importante consultar um médico antes de partir para os tratamentos.

Outra alternativa para melhorar a aparência de quem tem calvície é o transplante capilar, utilizado há 50 anos. Há diversas técnicas, mas as mais modernas, como a folicular coronal, têm cicatrização rápida e não deixam marcas, explica o médico Arthur Tykocinski, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Uma sessão resolve grande parte dos casos.

Evite a queda
Algumas atitudes adotadas no dia a dia podem prevenir a perda de fios. Não é aconselhado prender os cabelos sempre, quer seja com elástico ou não. Pode-se induzir uma perda de fios chamada de alopecia por tração. A chapinha, se não aplicada corretamente, pode danificar a haste capilar, assim como a escova.

O dermatologista Ademir Junior ressalta a necessidade de manter o couro cabeludo sempre limpo. "Alguns pacientes acreditam que os cabelos caem mais durante o banho e evitam lavá-los. É importante saber que os fios não estão caindo porque estamos lavando o couro cabeludo, e sim porque estão programados para cair, independente da lavagem", diz.
 

Leia Também