BELEZA

Conheça a maquiagem ideal para cada tom de pele e arrase no look

Conheça a maquiagem ideal para cada tom de pele e arrase no look
29/07/2012 14:42 - Band


Loiras, morenas, orientais e negras não devem usar a mesma maquiagem. Assim como o cabelo, cada tom de pele pede uma harmonia de cores diferentes.

Investir na make correta é aposta certeira para valorizar o look. Segundo o maquiador e cabeleireiro Eury Moreira, a maquiagem é elemento fundamental no resultado da produção e deve estar de acordo com o modelo escolhido e a ocasião. “Se a mulher está toda de paetê nada de muito brilho na pele e olhos”, explicou.

Ainda de acordo com o profissional, o público feminino costuma cometer alguns deslizes na hora de se pintar e o que era para se tornar chique e elegante acaba, muitas vezes, ficando bizarro.

"Os principais erros sempre são os excessos de maquiagem, como os olhos carregados e o batom muito marcado. O chique é uma pele clean, com olhos bem delineados e um look saudável", contou. "Não existe um truque específico para cada tom de pele. O ideal é sempre usar o famoso 'bom senso'. Uma morena, por exemplo, ficaria linda com um batom rosé, já com vermelho pode ficar vulgar”, completou.

Confira algumas dicas de maquiagem para cada tom de pele:

Pele branca: Usar sempre tons nude e rosados que dão um ar saudável, porém uma boca vermelha em mulher de pele branca fica chique, algo meio Yves Saint Laurent.

Pele morena: Sempre é bom usar tons puxados para os terrosos como marrom e cobre, pois ajuda a iluminar a pele.

Pele oriental: Pode abusar dos olhos pretos e tons puxados para o vermelho ou rosé.

Pele negra: Tons acobreados e laranjas dão um up no tom da pele e muito pó iluminador pode completar a make.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".