Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 16 de dezembro de 2018

LANÇAMENTO

Congresso da Carne trará dois ministros ao MS

5 MAR 2011Por DA REDAÇÃO02h:00

Classificado pelo International Meat Secretariat (IMS) como um evento regional, o Congresso Internacional da Carne 2011, que acontecerá em Campo Grande (MS), de 7 a 9 de junho deste ano, passa a ter caráter mundial, conforme a avaliação do conselheiro do IMS, o ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcus Vinicius Pratini de Moraes.

“Não se pode falar num evento sobre carnes no Brasil que não seja mundial, até porque o Brasil só perde para Índia em número de cabeças de gado. Campo Grande é a cidade com a maior capacidade de abate de bovinos, mundialmente reconhecida”, diz.

Pratini de Moraes participou de um almoço que reuniu personalidades do agronegócio e lideranças do setor. O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, lançou oficialmente nesta quinta-feira (03), em São Paulo, o Congresso Internacional da Carne 2011.

Cerca de 80 pessoas estiveram presentes, entre elas o vice-presidente de finanças da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Ademar da Silva Júnior; o secretário nacional de Defesa Agropecuária do Mapa, Francisco Jardim; a secretária de Produção e Turismo de Mato Grosso do Sul, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, e o diretor executivo do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça.

“Esse congresso é importante para avaliar a nossa capacidade de produzir de maneira coordenada e com segurança. Não só no Brasil mas como Mato Grosso do Sul também, vamos ser vitrine para produtores do mundo todo e mostrar a realidade de ser grandes produtores com um amplo pacote tecnológico e comprovar que temos uma indústria frigorífica ativa”, declara Eduardo Riedel.

Para o coordenador do Centro de Estudos do Agronegócio na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, este é o momento para que haja uma transformação no mercado. “Esse evento é o ponto de partida para um novo marketing da carne brasileira. Somos o maior exportador de carne bovina no mundo e qualquer tema que discutirmos dentro deste Congresso é de interesse mundial”, afirma Rodrigues.

Meio Ambiente e Pecuária

“Nós temos 62% das reservas florestais originais e não precisamos ficar desmatando para produzir. Além disso, o Brasil é um fornecedor competente que cumpre horários e contratos. Por isso acredito que temos que se impor às condições dos demais mercados. E o que os importadores mais temem é a nossa competitividade, pois produzimos carne boa e de qualidade com baixo custo”, avalia Pratini de Moraes.

O presidente do Fórum Permanente da Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira, destacou a necessidade de marketing para a carne. “Nós temos competitividade aliada a qualidade do nosso produto, por isso temos que aprender a convivência de uma cadeia homogênea e assim consolidar todo esse marketing que todos os brasileiros afirmam. Temos que antes de tudo dar tranqüilidade ao produtor rural para ele se preparar para a demanda de alimentos”, afirmou.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também