ESPORTES

Confronto de boxe internacional na Capital é adiado

Confronto de boxe internacional na Capital é adiado
26/08/2010 21:09 -


O combate internacional de boxe em Campo Grande, envolvendo o  sul-mato-grossense Lino de Barros, 31 anos,  foi transferido para o dia 18 de setembro e será contra o argentino Rodolfo de Dominicis, de 37 anos, no ginásio do Círculo Militar.
Anteriormente marcado para este sábado, a Federação de Boxe de Mato Grosso do Sul foi obrigada a fazer a mudança por causa da falta de adversários, pois o primeiro desafiante, o argentino Orlando Farias, sofreu uma derrota por nocaute no início do mês e ficou impossibilitado de enfrentar o lutador  brasileiro.
Lino de Barros detém o título latino da categoria cruzadores (91,7kg) pela Organização Mundial de Boxe (OMB) e ficou conhecido nos últimos dias por frequentar a mesma academia do ex-campeão mundial dos pesos pesados, Mike Tyson. “É um atleta nascido em Bonito e hoje é o principal nome do pugilismo nacional. Será uma grande festa e tenho certeza que Lino de Barros fará um grande combate, pois precisa acumular vitórias para disputar o título mundial. Pela importância da luta, esperamos um bom público”, comentou o presidente da federação local, Marcelo Nunes.
O pugilista brasileiro é líder do ranking nacional em sua categoria e ainda ocupa a 7º posição no ranking da Organização Mundial de Boxe (OMB) e o 13º no da Associação Mundial de Boxe (AMB). “Apesar dos 31 anos, é um boxeador que está no auge da carreira e que soma muitos títulos”, disse Marcelo Nunes. (JP)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".