Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 16 de dezembro de 2018

ARQUITETURA

Confira algumas dicas para fazer uma sala de ginástica em casa

19 JUL 2012Por terra00h:00

Quem se exercita regularmente sabe que a parte mais difícil é vencer a inércia de sair de casa para ir à academia. Esse é um dos motivos que levam as pessoas a montarem uma sala de ginástica em casa. Assim, é possível vencer a preguiça para treinar e aproveitar o cômodo ocioso. De acordo com o arquiteto Frederico Morán, do escritório Rodrigues Móran Arquitetura e Design, é preciso, antes de tudo, avaliar a atividade praticada pelo morador e o espaço disponível. “Normalmente a pessoa está ligada a um personal trainer e já faz alguma atividade. Você tem de equipar a sala para a prática desse exercício. Tem de pensar também na distância entre os aparelhos para não esbarrar e se machucar”, explica.

O personal trainer Osmar de Oliveira recomenda que a sala de exercícios seja montada em uma área de 30 m2 ou 40m². A peça chave para quem quer fazer musculação sem sair de casa é um aparelho multifuncional, que serve para trabalhar os músculos de diferentes partes do corpo como pernas, braços, glúteos, peitoral e costas. “Você dá a volta nele, tem várias estações para os diversos tipos de atividades”, resume Oliveira. Além do polivalente, o morador pode adotar equipamentos de exercício aeróbico como esteira e bicicleta ergométrica.

Se espaço for um problema, o jeito é reduzir a quantidade de equipamentos e usar itens mais portáteis como halteres, elásticos, bolas, cordas e tornozeleiras. “O elástico trabalha perna e braço e é muito bom para fazer aquecimento antes de ir para o aparelho”, afirma o treinador. Uma alternativa para ganhar espaço é colocar uma barra de pressão regulável no batente da porta. Esse tipo de exercício trabalha os braços e o abdômen. A cama elástica é uma opção barata para fazer atividades cardiovasculares.

Outros aspectos a se levar em conta são a higienização e a iluminação do cômodo. O piso vinílico, de textura plastificada, é fácil de limpar e não arranha. Manter a área arejada também é muito importante. “Se não houver ventilação no quarto, ele se torna um ambiente insalubre. Por isso é que se não há circulação de ar suficiente proporcionada pelas janelas, usa-se o ar condicionado para a climatização”, conta Morán. A iluminação, por sua vez, depende das cores das paredes e do chão. O ideal é que se aproxime ao máximo da luz do dia. A tendência é usar lâmpada fria, que gera menos calor e é mais econômica.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também