Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POLÍTICA

Concerto apresentará o oratório “Messias”

Concerto apresentará o oratório “Messias”
13/05/2010 19:25 -


OSCAR ROCHA

 

Uma das composições mais importantes do segmento sacro ganha interpretação no sábado, às 20h, na Igreja Presbiteriana, localizada na Rua Dom Aquino, 1.825. Trata-se do oratório "Messias", de Haendel, feito em meados do século 18. Quem executará a composição é o Coro Lírico da Escola de Música Cant’arte, que comemora dois anos de atividades durante a apresentação.

"O coro é formado por 25 cantores, a maioria estudantes da escola. A ideia para formação do grupo aconteceu em 2008, durante a temporada de apresentações do espetáculo ‘Cavalaria rusticana’, que, depois de estreiar em Campo Grande, foi apresentado em várias cidades do interior como Aquidauana, Ivinhema, entre outras", explica a preparadora vocal do coro, Edineide Dias. O concerto terá duração de uma hora e vinte minutos e exigiu adaptação da peça original. Na concepção do autor, a peça tem duas horas e trinta minutos. "‘O messias’ é definido como oratório porque é um gênero sacro e tem a finalidade de servir de oração", lembra Edineide. No ano passado, o mesmo local serviu como ponto de comemoração de um ano do coro. "Tocamos em vários lugares, dependendo do convite. Gostamos de igrejas como a presbiteriana porque têm pianos. No caso específico dessa igreja, tem um piano de cauda". Duas sopranos participarão do concerto, Viviane Carvalho de Brito e Cinara Baccile. A peça apresentada em 2009 foi "Stabat mater", de Rossini, que também teve concerto na Igreja Nossa Senhora de Fátima. A regência do coro será feita por Fábio Bernobic. A entrada é franca.

Felpuda


Mensagens trocadas por aí mostram que deverá “virar moda” políticos anunciarem que testaram positivo para a Covid-19. E sem medo de dizer que isso é porque o presidente Jair Bolsonaro anunciou ter sido infectado, e aí essa tchurminha estaria interessada também em ganhar holofotes. Porém, ressaltam que, como não se pode duvidar de coisa séria, o jeito é desejar “restabelecimento”. E não deixam de lembrar que o risco é a população descobrir que não fazem a menor falta. Essa gente...