Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

BELEZA

Comunidade quilombola Tia Eva terá cortes de cabelo gratuitos

8 NOV 2010Por DA REDAÇÃO10h:35

Na próxima quarta-feira, o Senac/MS vai levar dicas de penteados e maquiagem afro à comunidade quilombola Tia Eva, em Campo Grande com a cabeleireira e maquiadora Fabiana Minei. A comunidade também terá acesso a cortes gratuitos. A ação ocorrerá durante solenidade de entrega de certificados de cursos do PlanseQ (Plano Setorial de Qualificação Profissional para Quilombolas), do Governo Federal, no Centro Comunitário. A gerente do Senac Beleza e Moda, Simone Michel, estará presente falando da importância da qualificação profissional  para o desenvolvimento local.

A instrutora do curso de Recepcionista, Rosângela Quadrado, explica que as dicas de beleza vão ajudar a comunidade a se preparar para receber os turistas durante a passagem do city tour e na loja que será reservada aos quilombolas no projeto de revitalização do centro de Campo Grande.
“É ótimo porque muitas vezes a gente não acerta o tom da maquiagem com a cor de nossa pele e não tem idéia de como arrumar o cabelo. As dicas podem ajudar a melhorar a auto-estima e resgatar nossas origens”, avalia a presidente da Associação dos Descendentes de Tia Eva, Lúcia da Silva Araújo Almeida.

A comunidade Tia Eva tem 82 famílias, aproximadamente 460 pessoas. Foi fundada em 1910, cinco anos após a chegada da ex-escrava Eva Maria de Jesus a Campo Grande (então Campos de Vacaria/MS). Eva trabalhou como lavadeira, parteira, cozinheira, curandeira, benzedeira e professora, ofício que marcou sua trajetória porque se tornou referência para a comunidade, passando a ser procurada por várias pessoas que pretendiam aprender a ler e escrever. Ela comprou a área de oito hectares onde foi instalada a comunidade.

Em 26 de abril de 2008, a Fundação Cultural Palmares concedeu a Certidão de Autodefinição como Comunidade Remanescente de Quilombos aos descendentes de Tia Eva. No dia 5 de maio de 1998, a Igrejinha de São Benedito recebeu o definitivo tombamento como parte do Patrimônio Histórico de Mato Grosso do Sul, pelo governo do Estado.

Leia Também