sábado, 21 de julho de 2018

CRÉDITO E DÉBITO

Compras com cartões predominaram no Natal

27 DEZ 2010Por INFOMONEY08h:14

Os cartões de crédito e débito predominaram entre as modalidades de pagamentos usadas pelos consumidores durante o Natal.

Segundo balanço da Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), 65% das comercializações se utilizaram desses meios de aquisição.

Entre as demais opções, 15% das compras foram realizadas com cartão próprio das lojas, 10% com cheques e outros 10% em dinheiro.

Destaque virtual
Durante a época natalina, o comércio eletrônico ganhou forma e passou a competir, de igual para igual, com o movimento das lojas físicas. O fato é que os consumidores contam com cada vez mais opções de compra on-line.

De acordo com a consultoria e-bit, o segmento deve registrar um faturamento de R$ 2,2 bilhões entre os dias 15 de novembro e 24 de dezembro de 2010.

Caso seja concretizado, o montante é 40% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior - de R$ 1,6 bilhões comercializados na época do Natal de 2009.

Atualmente, há cerca de 5 mil lojas virtuais de produtos e serviços nos mais diversos segmentos do mercado. Os produtos que mais foram comercializados no e-commerce foram: livros, o líder do setor; eletrodomésticos; eletrônicos e informática; e artigos de beleza para o segmento feminino.

Natal aquecido
A Alshop constatou crescimento, no período natalino, de 13% diante do Natal de 2009. O segmento de Perfumaria e Cosméticos foi um dos carros-chefes desse processo, já que registrou vendas nominais até 17% maiores que em 2009.

Mais dois setores também se destacaram no período: o de Óculos, bijouterias e acessórios (18% de crescimento), e os Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos (17% de crescimento). A expansão do segundo grupo está associada à oferta de produtos com mais tecnologia e com câmbio melhor que em 2009.

Livros, DVDs e CDs, Brinquedos e Vestuário marcaram fortes altas no período de final de ano, ante igual época do ano passado: de 14%, 13% e 13%, respectivamente.

Por fim, calçados, e joias e relógios registraram, cada um, crescimento de12% e 9%.
 

Leia Também