Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 20 de outubro de 2018

Comissão de ética do DEM investiga vereadores suspeitos de corrupção

11 SET 2010Por 09h:12
O DEM instaurou ontem comissão de ética para investigar o envolvimento dos vereadores Gino Ferreira, Marcelo Barros, Paulo Henrique Ferreira (o Bambu) e Sidlei Alves no esquema de corrupção e fraude em licitação, deflagrado na Operação Ugarano da Polícia Federal. Barros, Bambu e Sidlei chegaram a ser presos, acusados de envolvimentos nos crimes e Gino foi indiciado.
A comissão terá 30 dias para concluir os trabalhos e, em respeito ao estatuto do partido, os vereadores terão amplo direito de defesa. A punição varia de advertência à expulsão dos correligionários.

Suplência
Ainda ontem, a Executiva Regional do DEM avaliou o impacto da ameaça do vice-prefeito Edil Albuquerque (PMDB) de deixar a primeira-suplência do vice-governador Murilo Zauith (DEM) na disputa por vaga de senador. Algumas lideranças reconheceram que a iniciativa de Edil “estremeceu” o partido e outros tentaram minimizar o impacto das declarações do peemedebista.
Para o presidente do Diretório Municipal de Campo Grande, vereador Airton Sariava, a promessa de abandonar a candidatura “foi um momento de desabafo de Edil”, em retaliação “ao descompaço do PMDB”. “Para nós, tudo está bem, porque sabemos que o Edil não é homem de recuar da empreitada e abandonar o projeto no meio do caminho”, disse. O vice-prefeito da Capital cogitou deixar a vaga de suplente por sentir descaso do PMDB em relação a sua candidatura, mas, até ontem, não oficializou a desistência. Especulações indicavam a possibilidade de o presidente da Câmara de Vereadores de Campo Grande, vereador Paulo Siufi (PMDB), substituir Edil (LK).
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também