Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

VAGAS DE TRABALHO

Comércio da Capital vai contratar 5.500 temporários em 2010

16 SET 10 - 02h:36

Edivaldo Bitencourt

Com a expectativa de o Brasil ter o melhor Natal dos últimos anos, o comércio de Campo Grande deverá contratrar cerca de 5,5 mil trabalhadores temporários. Este número representa crescimento de 10% em relação ao ano passado, segundo estimativa do presidente do Sindicato dos Comerciários de Campo Grande, Ildemar da Mota Lima.
“Com certeza, o número de 2009 vai ser ultrapassado este ano”, ressaltou o sindicalista. No País, foram 125 mil trabalhadores temporários em 2009, acumulando aumento de 8,5% em relação ao ano anterior. O total de temporários elevará em 12% o número de trabalhadores no comércio na Capital, que conta com 45 mil empregos formais, conforme o Ministério do Trabalho e Emprego.
De acordo com o economista Áureo Torres, da Fundação Municipal Social do Trabalho (Funsat), as contratações começam em outubro. “A crise econômica perdeu força e houve um arranque bom no segundo semestre”, analisa.

Primeiro emprego
Torres ressalta que o trabalho temporário é a melhor oportunidade para jovens sem experiência entrar no mercado de trabalho. Como a demanda é muito grande, os estabelecimentos ficam mais flexíveis e deixam de exigir experiência de dois anos. Além disto, não cobram atuação anterior em área específica, como, por exemplo, venda de calçados e roupas.
A oportunidade é importante porque 30% dos temporários acabam sendo efetivados pelas lojas. Hoje, o piso salarial no comércio da Capital é de R$ 610, acima do salário mínimo de R$ 510.

Aquecido
O mercado de trabalho continua aquecido em Mato Grosso do Sul. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação é de 6,8%, inferior à média nacional de 8,3%.
“Está faltando mão de obra na construção civil, em hotéis, bares e restaurantes”, confirma Lima. Além de o percentual de desemprego estar menor, ele explica que a campanha eleitoral contratou muitas pessoas para atuar como cabos eleitorais. Ou seja, quando terminar a campanha, os campo-grandenses vão ter o trabalho temporário como opção.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Considerada cidade do algodão, Chapadão do Sul comemora 32 anos de emancipação
FELIZ ANIVERSÁRIO

Considerada cidade do algodão, Chapadão do Sul comemora 32 anos de emancipação

Diretor de presídio federal diz que Name não precisa de ajuda
CRIME ORGANIZADO

Diretor de presídio diz que Name não precisa de ajuda

STF retoma julgamento sobre prisão após condenação em 2ª instância
BRASÍLIA

STF retoma julgamento sobre prisão após condenação em 2ª instância

Deputados cobram vistoria <br>contra incêndio em hospitais
RISCOS

Deputados cobram vistoria contra incêndio em hospitais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião