Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Comerciante é morto a tiros na fronteira

Comerciante é morto a tiros na fronteira
07/04/2010 23:45 -


EDILSON JOSÉ ALVES, PONTA PORÃ

Um comerciante foi executado por pistoleiros na noite de segunda-feira, em um bairro da periferia de Ponta Porã. Os criminosos efetuaram vários tiros de pistola nove milímetros, matando a vítima de forma instantânea. Até ontem à tarde, a Polícia Civil não tinha informações que pudessem ajudar na elucidação do assassinato.

Segundo as informações policiais, Antônio Rodrigues Gamarra, de 37 anos, morreu crivado de balas no momento que parou o carro para conversar com uma pessoa, no Bairro São Domingos, proximidades do Terminal Rodoviário Municipal de Ponta Porã.

Os pistoleiros teriam chegado ao local de motocicleta e sem dizer nenhuma palavra começaram a efetuar os disparos em direção da vítima.
Informações extraoficiais dão conta de que Gamarra conduzia um veículo importado Audi A3, com placa COS-3625, de Campo Grande. Ele foi atingido em várias partes do corpo e morreu antes da chegada do socorro.

Uma equipe da perícia técnica esteve no local fazendo os levantamentos de praxe. O corpo foi levado ao Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) para ser submetido ao exame de necropsia.

Investigações
Ontem à tarde, o delegado que está conduzindo as investigações, Alberto Ojeda, adiantou que está ouvindo alguns familiares de Antônio Rodrigues Gamarra, com objetivo é obter informações para saber se ele vinha sofrendo ameaças. Ele acredita que a partir daí será possível encontrar pistas que levem aos autores do homicídio.
“Estamos aguardando os laudos para tentar identificar a autoria e as circunstâncias em que aconteceu o crime”, explicou o delegado.

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!