Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PONTA PORÃ

Comerciante é executado na fronteira

Comerciante é executado na fronteira
26/07/2012 10:26 - Fábio Dorta, de Dourados


O comerciante Gilson Gonçalves, 36 anos, foi executado com dez tiros de pistola calibre 9 milímetros na madrugada de ontem no bairro Mariscal Estigarríbia em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz divisa com Ponta Porã. O carro dele, uma caminhonete Toyota Hilux, branca, com placas NHA – 2755 de São Luiz/MA, foi queimada pelos assassinos.

Gonçalves foi atingido pelos disparos na cabeça, peito, tórax e abdômen e morreu na hora. O corpo foi encontrado por volta das 4h. Moradores da região em que ocorreu o homicídio disseram à Polícia Nacional do Paraguai que depois de ouvirem o barulho dos tiros, viram dois homens fugindo em um veículo em alta velocidade.

Gilson Gonçalves, de acordo com familiares, residia atualmente em Ponta Porã. Ele tinha várias passagens pela polícia em Mato Grosso do Sul por crimes como tráfico de drogas, lesões corporais e violência doméstica e a respondia a processos na justiça. A família dele reside em Dourados no bairro Jardim Paulista.

Conforme a Polícia Nacional do Paraguai o veículo de Gonçalves, que foi incendiado após o crime não tinha registros de furto ou roubo no Brasil e era financiado por uma instituição bancária no Estado do Maranhão. A polícia paraguaia acredita que o crime tenha sido motivo por acerto de contas entre traficantes.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.