Terça, 20 de Fevereiro de 2018

NUTRIÇÃO

Comer para emagrecer

12 JAN 2011Por Scheila Canto com Bolsa de Mulher00h:00

Quando se fala em dieta, o primeiro impulso é pensar: boca fechada! Mas o mito de que não comer nada é a solução para eliminar os quilinhos extras já não convence mais. A perda de peso e principalmente sua manutenção depende de muita disciplina, força de vontade e entendimento sobre o processo do metabolismo. Pesquisas indicam que 95% das pessoas que emagrecem repentinamente com dieta restritiva acabam ganham o peso de volta e um pouco mais ainda no primeiro ano após o regime.

O caminho certo para perder peso sem abrandar o metabolismo é por meio da reeducação alimentar. Pois, não há uma dieta que funcione para todos ao mesmo tempo, cada pessoa tem um gasto calórico bem como o metabolismo individual. Sendo assim, dieta ideal é aquela feita somente para você. Neste caso a personalização é fundamental.

Segundo a nutricionista Shirleyde Guimarães Moura, da Rede Mundo Verde de Campo Grande, dietas que cortam determinados grupos alimentares do cardápio, podem ser perigosas e geralmente colocam em risco o bem-estar das pessoas, deixando-as enfraquecidas e sonolentas. “O mais importante que retirar a comida do prato é saber dosar a quantidade e combinar as qualidades”, orienta Shirleyde.

Segundo a nutricionista não podemos nos iludir achando que consegue guardar o prazer na gaveta e por isso é importante saber administrar o dia a dia e conhecer nossas vulnerabilidades. Assim, você não corre o risco de chegar em uma festa e não saber lidar com a oferta de quitutes e salgadinhos. “Devemos estar preparados para negociar com a gente mesmo esses deslizes, que vão acontecer, porque somos humanos. Aqui, claro, vale o equilíbrio e o bom senso para contrabalançar durante a semana a alimentação”, pondera reforçando que o excesso que é o grande vilão da balança.

Primeiros passos da mudança de hábitos
Novos costumes

Não só as refeições são avaliadas na hora de uma reeducação. Qualquer mudança requer força de vontade, engajamento e planejamento. Quando um paciente entra num processo de reeducação alimentar, antes de tudo, os seus hábitos e histórico devem ser avaliados e aí, sim, um programa é montado.
Trocar farinhas brancas por integrais e incluir frutas e vegetais nas refeições é o primeiro passo de uma mudança de hábito.

Ansiedade
Ela é a maior inimiga de qualquer dieta. Esperar resultados pacientemente e com perseverança é algo quase impraticável numa sociedade imediatista como a nossa.  Com a chegada do verão, as dietas da moda viram uma tentação para quem quer perder peso com rapidez, o que pode virar um problema. A perda de peso saudável, por mês, é de até 4 kg paras as mulheres e 6kg para os homens.
Uma pessoa que lida com ansiedade e compulsão há anos não vai resolver todas as questões em pouco tempo e é importante que ela saiba disso, para não gerar uma frustração. O que mais demora é a  mudança do comportamento. O corpo entende mais rápido o que é bom para o organismo do que a nossa cabeça.
Shirleyde diz que uma boa maneira de driblar a ansiedade é comer uma porção de frutas secas diariamente. “Castanha do Brasil, amêndoas e castanha de caju, são ótimas”, sugere.

Fatores importantes
Os especialistas enumeram alguns cuidados fundamentais para o emagrecimento, como: beber, no mínimo, dois litros de água por dia; não pular o café da manhã, iniciar a refeição com um prato de saladas  e não misturar os carboidratos nas refeições. “O gasto calórico à noite é menor, portanto, qualquer alimento consumido neste período deve ter a quantidade bem reduzida”, complementa.

O papel do exercício
Na hora da matemática da dieta, o papel da alimentação corresponde a 70% e o dos exercícios, a 30%. Mas, estar em movimento é fundamental para a manutenção do peso.
Os nutricionistas explicam que quando uma pessoa está comprometida com os exercícios, geralmente segue a dieta e procura uma alimentação saudável. É recomendado que a atividade seja incorporada aos hábitos, durante o processo de emagrecimento, lembrando que ela é um dos principais fatores para se manter o peso ideal. E para tal deve-se, antes de tudo, procurar exercícios com o qual haja identificação, seja uma aula tênis ou alongamento. Ou seja: nada de ficar obcecada e sair correndo para se inscrever em todas as aulas com alto gasto calórico. Pense antes de tudo no elo que você deve criar com o exercício físico. Depois do exercício incorporado à rotina, fica tudo mais fácil e automaticamente aumenta o interesse por outras aulas.

É aconselhado para quem não gosta de frequentar academias ou está sem tempo a adotar algumas pequenas mudanças como: saltar um ponto antes no ônibus, evitar usar o elevador e subir de escada e diminuir o tempo de uso do computador. São pequenas medidas que terminam fazendo a diferença.

Algumas dicas:
- Jamais comer sem estar com fome. Mas, não esperar estar faminta para comer.
- Quando estiver com fome, optar por fibras, água, vegetais, saladas cruas.
- Conhecer suas vulnerabilidades.
- Aprender a substituir os alimentos e não trocar 8 por 80.
- Programar os seus abusos, exercitando a moderação.

Leia Também