Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

IRAQUE

Comandante explode alunos em aula de homens-bomba

Comandante explode alunos em aula de homens-bomba
10/02/2014 20:44 - FOLHA PRESS


Um grupo de 22 militantes iraquianos que participavam de um treinamento para homens-bomba morreu hoje quando o instrutor se explodiu por descuido.

O acidente ocorreu hoje em um acampamento em Samarra, ao norte de Bagdá, capital do país. Outras 15 pessoas ficaram feridas.

Na hora da explosão, o comandante demonstrava o uso de um cinto com explosivos, segundo a polícia local.

Os militantes faziam parte de um grupo conhecido como Estado Islâmico do Iraque e do Levante, terroristas sunitas, ligados à Al Qaeda, que combatem a parte xiita do governo do país.

O grupo havia invadido as cidades de Fallujah e Ramadi, ambas na província de Anbar, portando armas pesadas, no começo deste ano. Ele tomou o controle de cruzamentos importantes e ocupou diversos escritórios das autoridades locais.

As forças de segurança e as tribos locais retomaram o controle de Ramadi nas semanas posteriores.

O Estado Islâmico do Iraque e do Levante também é responsável por ataques em outras províncias.

A violência no Iraque alcançou no ano passado os índices mais altos desde o auge do derramamento de sangue sectário entre sunitas e xiitas, em 2006 e 2007, quando dezenas de milhares de pessoas foram mortas.

Segundo o Departamento de Estado dos EUA, a milícia conta com 2.000 combatentes no Iraque e tem como objetivo estabelecer uma base de operações em Bagdá.

Seu chefe, Abu Bakr al-Baghdadi, é considerado terrorista global pelo governo americano.
Diversos outros grupos terroristas sunitas atuam no Iraque, país de maioria xiita e atualmente também governado por um primeiro-ministro xiita, Nouri al-Maliki.

A violência também é empregada no outro sentido. Hoje, o presidente do Parlamento iraquiano e destacado representante da comunidade sunita, Osama al-Nuyaifi, saiu ileso de um atentado. 

Felpuda


Espalhar notícias ruins tornou-se muito mais rápido com o uso da tecnologia, e, além disso, não se trata mais de ações dos adversários. Isso é o que pôde ser visto ultimamente, quando a tchurminha do “aliado” tratou de deixar muita gente informada sobre o que a chamada "grande imprensa” tinha publicado, enviando notícias pelo WhatsApp e postando nas mídias sociais. E assim caminha a humanidade...