Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 13 de dezembro de 2018

Rio de janeiro

Com pen-drive no lugar de caderno, inaugura 1ª escola verde

21 MAI 2011Por terra19h:00

A primeira escola ecológica do País foi inaugurada nesta sexta-feira em um dos bairros mais carentes do Rio de Janeiro, Santa Cruz, zona oeste da cidade. A escola estadual Erich Walter Heine possui instalações que captam a água da chuva para ser usada nos sanitários, jardins e na limpeza da escola, com economia de 50% da água potável. As lâmpadas LED em todo o edifício reduzem em até 80% o consumo de energia.

Os alunos também podem substituir os cadernos por pen-drives, já que a instituição oferece computadores para os estudantes.
O formato de cata-vento da construção e o telhado verde reduzem a temperatura, em uma região em que o calor ultrapassa 40ºC no verão. A escola está entre as 121 instituições no mundo com certificação Leed Schools (de liderança em energia e design ambiental) e é a primeira escola de ensino médio profissionalizante da região, que tem um dos menores índices de desenvolvimento humano do município.
 

A iniciativa faz parte de um convênio entre o governo do Estado e a empresa Thyssenkrupp CSA. O investimento de R$ 11 milhões foi arcado integralmente pela siderúrgica, a maior da América Latina.


O diretor de sustentabilidade da empresa, Luiz Cláudio Castro, explicou que a construção da escola estava prevista dentro do projeto de compensação por liberação de carbono, e que a ideia de uma construção sustentável surgiu para contribuir para reduzir os gases de efeito estufa.
 

Desde fevereiro, cerca de 200 alunos estudam na escola que foi oficialmente inaugurada hoje com a conclusão da piscina e da quadra poliesportiva. O estudante Leonardo Andreol, 15 anos, passou na prova seletiva para o colégio que oferece especialização em administração, com um computador por aluno e lousas digitais, com acesso à internet. "É uma escola diferente e aqui estou aprendendo que se a gente não conservar a natureza agora vai ficar bem difícil para as próximas gerações".


O professor de química Agnaldo Pereira dos Santos disse que esta é a primeira vez que vê seu trabalho ser valorizado em seus 16 anos de magistério. "É muito gratificante, porque a gente (professores) já está há um bom tempo no Estado e nunca havia visto uma resposta dessa, com laboratório dessa qualidade e alunos dedicados".


O governador, Sérgio Cabral, visitou a escola e prometeu um notebook para cada estudante do estabelecimento. "O que vocês encontraram aqui é totalmente diferente da realidade das escolas do Estado. Aqui, vocês vão aprender a serem empreendedores. Por isso sei que vão curtir e cuidar de cada metro quadrado e se dedicar muito para saírem com uma formação extraordinária", disse.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também