Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

OPERAÇÃO CADEADO

Com mais de 2 mil homens, Exército fiscaliza acessos ao Paraguai

8 NOV 2010Por EDILSON JOSÉ ALVES/PONTA PORÃ07h:23

Todos os acessos ao Paraguai estão sendo rigorosamente fiscalizado desde sexta-feira  pelas tropas do Exército. O trabalho denominado de "Operação Cadeado" reúne mais de dois mil homens, 135 viaturas, 8 embarcações e dois helicópteros. São militares da 4ª Brigada de Dourados, da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, com sede em Cuiabá-MT e da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, de Corumbá.

 Conforme o Comando Militar do Oeste (CMO), o objetivo é combater todos os tipos de crimes transfronteiriços e ambientais. Na região de fronteira com o Paraguai os crimes mais comuns são o tráfico de drogas e armas, além de contrabando e descaminhos de mercadorias que entram irregularmente no país sem passar pelos trâmites legais na Receita Federal.

 A Operação Cadeado é desenvolvida pelo Exército Brasileiro em conjunto com os órgãos de segurança pública federal e estaduais como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Polícia Militar de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, IBAMA e Receita Federal.

 Até ontem à tarde os militares faziam trabalho de fiscalização rigorosa em todos os veículos e ônibus que cortam a região de fronteira. Eles checam as bagagens e documentações tanto pessoais como dos veículos. Os veículos irregulares são encaminhados ao DETRAN de Ponta Porã e os casos de tráfico de drogas devem ser levados para a Delegacia de Polícia Federal da fronteira. O trabalho não teve nenhum balanço divulgado até agora.

 O controle se dá principalmente nas rodovias BR-463, entre Ponta Porã e Dourados; nas rodovias estaduais MS-386, que dá acesso a Amambaí; MS-164 que demanda para o Assentamento Itamarati e distrito de Itahum, em Dourados; além da MS-384 que interliga a fronteira a Antônio João e a região sudoeste do Estado.

Leia Também