Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

EQUADOR

Com impasse, fundador do WikiLeaks segue na embaixada

17 AGO 2012Por G1, com agências internacionais14h:17

O presidente equatoriano, Rafael Correa, afirmou nesta sexta-feira (17) que Julian Assange, o fundador do site de vazamentos WikiLeaks, deve permanecer por tempo indeterminado na embaixada equatoriana em Londres, onde tenta evitar a extradição para a Suécia, em um incidente que criou um impasse diplomático entre Equador e Reino Unido.

As negociações diplomáticas eram mantidas nesta sexta para tentar encontrar uma solução para o caso Assange. O destino do australiano ainda era incerto, apesar do asilo diplomático concedido a ele pelo Equador na véspera.

Vinte policiais britânicos continuam de guarda em frente ao edifício da representação diplomática equatoriana, que se transformou em uma prisão de luxo para o australiano desde 19 de junho, quando ele ali se abrigou.

Dois carros da polícia também estão estacionadas próximo ao prédio, não muito longe de uma dúzia de partidários de Assange que passaram a noite no local, dormindo em caixas de papelão para "montar guarda".

"A tática britânica de intimidação continua", denunciou o WikiLeaks no Twitter.

Se Assange arriscar sair da embaixada, será imediatamente preso sob um mandado de prisão emitido pela Suécia, no contexto de um caso de estupro e agressão sexual, acusações que ele nega.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também