Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Com gol nos acréscimos, Cruzeiro tira invencibilidade do América-TO

27 FEV 11 - 08h:37Gazeta Esportiva

A facilidade encontrada pelo Cruzeiro na Libertadores não é transferida para o Campeonato Mineiro. Na cidade de Teófilo Otoni (a 446 quilômetros de Belo Horizonte), o América jogou em clima de decisão e deu muito trabalho. Mas a Raposa conseguiu os três pontos no triunfo por 2 a 1, definido aos 47 minutos do segundo tempo com um gol contra de Rodrigo Sena.

Aliás, a partida foi marcada por uma polêmica. Mesmo com um a menos, depois da expulsão de Wellington Bruno, o América chegou a marcar o segundo com Jonatas Obina, quando o marcador era de 1 a 1, porém o lance acabou anulado por impedimento, decisão que proporcionou revolta local.

O resultado em Teófilo Otoni leva o Cruzeiro a 12 pontos. Ao fim deste sábado, a equipe de Belo Horizonte assume a segunda colocação e agora aguarda o clássico entre o líder Atlético-MG e América-MG, terceiro lugar. O América-TO (6 pontos) termina o sábado em sexto lugar.

Na próxima rodada do Mineiro, o Cruzeiro entra em campo apenas no dia 13 de março contra o Democrata, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Um dia antes, o América mede forças em casa com o Funorte. Antes da volta ao Estadual, a Raposa enfrenta na quarta-feira o Deportes Tolima, da Colômbia, pela Libertadores.

O Jogo - O calor e o campo desconhecido em Teófilo Otoni eram os obstáculos do Cruzeiro neste sábado. Nos minutos iniciais, Montillo chamou a responsabilidade e criou situações para peças que vinham de trás, como Henrique e Victorino, que não conseguiram aproveitar.

O respeito pela qualidade técnica do adversário fazia o América-TO apertar a marcação. A partir dos 15 minutos, Montillo já não tinha os mesmos espaços. O Cruzeiro caiu de rendimento.

Sem força ofensiva, o América-TO não conseguia criar chances, mas parecia satisfeito com o empate no intervalo. Até que o Cruzeiro acordou e desencantou. Aos 43 minutos, Montillo voltou a aparecer e serviu Wallyson na área. O atacante precisou, todavia, de dois chutes para balançar as redes.

Para o segundo tempo, o América-TO mudou a postura e apostou em um esquema mais ofensivo, com a entrada do atacante Chrys no lugar de Júnior Pereira. Por outro lado, a alteração proporcionou mais espaços ao meio-campo e ataque do Cruzeiro.

Quando a equipe visitante parecia próxima do segundo, o América-TO apresentou velocidade na frente para empatar. Aos 16 minutos, Jonatas Obina escapou nas costas de Gil e tocou por baixo de Fábio: 1 a 1.

Mas a comemoração dos donos da casa foi abafada pela expulsão de Wellington Bruno, que acertou um carrinho por trás em Montillo. Imediatamente, Cuca procurou aumentar a força do ataque do Cruzeiro com as presenças de Thiago Ribeiro e Farías nos lugares de Wellington Paulista e Diego Renan.

O jogo virou uma batalha entre o ataque do Cruzeiro e a defesa do América-TO. Nos minutos finais, o goleiro Fábio Noronha virou um grande personagem do jogo ao segurar o ataque celeste com grandes defesas. Mas o arqueiro não contava com o gol contra de Rodrigo Sena, aos 47 minutos, que definiu a vitória celeste.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

OPINIÃO

Calos Lopes dos Santos: "Primeiro a educação, depois as leis"

Advogado

Felpuda

BRASIL

Após novo caso, Brasil perderá status de país livre do sarampo

BRASIL

Delegado da Baixada Fluminense atuará na 2ª fase do caso Marielle

Mais Lidas