Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Com gol nos acréscimos, Cruzeiro tira invencibilidade do América-TO

27 FEV 2011Por Gazeta Esportiva08h:37

A facilidade encontrada pelo Cruzeiro na Libertadores não é transferida para o Campeonato Mineiro. Na cidade de Teófilo Otoni (a 446 quilômetros de Belo Horizonte), o América jogou em clima de decisão e deu muito trabalho. Mas a Raposa conseguiu os três pontos no triunfo por 2 a 1, definido aos 47 minutos do segundo tempo com um gol contra de Rodrigo Sena.

Aliás, a partida foi marcada por uma polêmica. Mesmo com um a menos, depois da expulsão de Wellington Bruno, o América chegou a marcar o segundo com Jonatas Obina, quando o marcador era de 1 a 1, porém o lance acabou anulado por impedimento, decisão que proporcionou revolta local.

O resultado em Teófilo Otoni leva o Cruzeiro a 12 pontos. Ao fim deste sábado, a equipe de Belo Horizonte assume a segunda colocação e agora aguarda o clássico entre o líder Atlético-MG e América-MG, terceiro lugar. O América-TO (6 pontos) termina o sábado em sexto lugar.

Na próxima rodada do Mineiro, o Cruzeiro entra em campo apenas no dia 13 de março contra o Democrata, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Um dia antes, o América mede forças em casa com o Funorte. Antes da volta ao Estadual, a Raposa enfrenta na quarta-feira o Deportes Tolima, da Colômbia, pela Libertadores.

O Jogo - O calor e o campo desconhecido em Teófilo Otoni eram os obstáculos do Cruzeiro neste sábado. Nos minutos iniciais, Montillo chamou a responsabilidade e criou situações para peças que vinham de trás, como Henrique e Victorino, que não conseguiram aproveitar.

O respeito pela qualidade técnica do adversário fazia o América-TO apertar a marcação. A partir dos 15 minutos, Montillo já não tinha os mesmos espaços. O Cruzeiro caiu de rendimento.

Sem força ofensiva, o América-TO não conseguia criar chances, mas parecia satisfeito com o empate no intervalo. Até que o Cruzeiro acordou e desencantou. Aos 43 minutos, Montillo voltou a aparecer e serviu Wallyson na área. O atacante precisou, todavia, de dois chutes para balançar as redes.

Para o segundo tempo, o América-TO mudou a postura e apostou em um esquema mais ofensivo, com a entrada do atacante Chrys no lugar de Júnior Pereira. Por outro lado, a alteração proporcionou mais espaços ao meio-campo e ataque do Cruzeiro.

Quando a equipe visitante parecia próxima do segundo, o América-TO apresentou velocidade na frente para empatar. Aos 16 minutos, Jonatas Obina escapou nas costas de Gil e tocou por baixo de Fábio: 1 a 1.

Mas a comemoração dos donos da casa foi abafada pela expulsão de Wellington Bruno, que acertou um carrinho por trás em Montillo. Imediatamente, Cuca procurou aumentar a força do ataque do Cruzeiro com as presenças de Thiago Ribeiro e Farías nos lugares de Wellington Paulista e Diego Renan.

O jogo virou uma batalha entre o ataque do Cruzeiro e a defesa do América-TO. Nos minutos finais, o goleiro Fábio Noronha virou um grande personagem do jogo ao segurar o ataque celeste com grandes defesas. Mas o arqueiro não contava com o gol contra de Rodrigo Sena, aos 47 minutos, que definiu a vitória celeste.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também