Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Cólera ameaça 2,2 milhões de crianças no Haiti

8 JAN 2011Por Agência Brasil12h:42

Às vésperas de completar um ano do pior terremoto da história do Haiti, o país registra 3.481 mortos e 157 mil casos em decorrência da epidemia de cólera, segundo o Ministério da Saúde do país. O Escritório das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários alertou que a epidemia ameaça 2,2 milhões de crianças - que sofrem com a falta de acesso à água potável e às instalações sanitárias.

Há, ainda, no Haiti mais de 1 milhão de pessoas vivendo em alojamentos improvisados. Pelo menos 380 mil crianças moram em barracas nas principais cidades, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Pelos dados do Unicef, apenas 19% da população no Haiti têm acesso à água, ao saneamento e à higiene. Para especialistas, o baixo acesso às condições de higiene explicam o agravamento dos casos de epidemia no país. Segundo o Unicef, o terremoto atingiu cerca de 1,5 milhão de crianças e 63 mil grávidas.

Na tentativa de amenizar a falta de comida, o Programa Alimentar Mundial (PAM) distribui alimentos para aproximadamente 2 milhões de pessoas no Haiti. Pelos dados das Nações Unidas, cerca de US$ 1,5 bilhão, repassado por vários países, deve chegar ao Haiti para os diversos programas de ajuda e reconstrução.

Leia Também