Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

FERROVIA

Codesul apoia Mato Grosso do Sul na inclusão de traçado da Norte-Sul

5 ABR 2011Por DA REDAÇÃO00h:00

Na Carta de Porto Alegre, assinada durante reunião ontem (4) do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), os governadores dos Estados do Rio Grande do Sul, presidente do Codesul, Tarso Genro; de Santa Catarina, João Raimundo Colombo; e do Paraná, Carlos Alberto  Richa, decidiram apoiar o Estado de Mato Grosso do Sul na solicitação ao Ministério de Transportes sobre a inclusão do traçado Campo Grande-Maracaju-Dourados-Mundo Novo-Cascavel no projeto da ferrovia Norte-Sul.

A Carta que sintetiza as resoluções e outros documentos foi elaborada na reunião dos governadores dos estados membros do bloco, na capital da gaúcha. Em seu discurso, o governador André Puccinelli ressaltou que a união dos quatro estados potencializa a ação política e administrativa que os estados terão junto ao governo federal.

André citou o exemplo do traçado da ferrovia já incluída no Programa de Aceleração do Crescimento [PAC I] desde o mês de janeiro de 2008. “A ferrovia foi incluída mas ainda não saiu do papel. Tão somente agora com a atuação dos governadores e o apoio de todos conseguimos ter a publicação no Diário da União da determinação dos estudos do traçado da linha férrea, e assim, unidos e cada vez mais atuantes, poderemos fazer com que os projetos saiam mais rapidamente”, afirmou André.

De acordo com Puccinelli, a Ferrosul já tem licitação do projeto executivo a partir de Estrela do Oeste (SP) e será uma ferrovia nova, de bitola larga, o que permite o escoamento mais rápido da produção. “Temos a cidade de Maracaju, que é epicentro, onde solicitamos o início da construção da ferrovia. Será a oportunidade de exportar cinco milhões de toneladas de grãos, um milhão de toneladas de açúcar e dois bilhões de litros de álcool. Por si só esse quantitativo diz do potencial do Mato Grosso do Sul. Muitos mercados são menos distantes do Porto de Rio Grande (RS) do que o Porto de Santos (SP), então, com este traçado, economiza frete e teremos competitividade maior nos nossos produtos. A integração do ramal Ferroeste com o rama Norte-Sul é de extrema importância não só para o Estado, mas para os Estados do Sul”, comentou.

Na Carta de Porto Alegre consta também a resolução que cria a Comissão Permanente da Ferrosul - que será coordenada pelos secretários estaduais de infraestrutura -,e um ofício que será enviado à presidente da República, Dilma Roussef, sobre o assunto.

Em seu discurso, o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, ressaltou a importância da Ferrosul e disse que “será uma oportunidade no Estado, já que somos grandes produtores, principalmente de milho. Estamos perdendo a competitividade e a ferrovia vai minimizar essa condição. É um privilégio desenvolver ações de forma conjunta”.

Já o governador do Paraná, Beto Richa, afirmou que a união possibilita avanços, como a implantação da Ferrosul “que vai ajudar a desenvolver economicamente e fortalecer os portos. Tenho a certeza que unidos, com objetivos comuns, teremos avanços consistentes”, destacou.

Os recursos para as obras de integração dos Estados, segundo o presidente do Codesul, governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, serão do PAC I e II e do orçamento da união. O traçado deverá ser incluído no Plano Nacional de Logística e Transportes (PNLT) e o grupo permanente formado para o traçado da ferrovia Norte-Sul deverá ficar atento para a inclusão do projeto no Plano Plurianual (PPA).

O objetivo é viabilizar a construção de um ramal interligando a Ferrovia do Pantanal, na região de Maracaju e Dourados, até Cascavel, no Paraná, passando por Mundo Novo e Guaíra. Pelo volume transportado em outros portos, a saída por trem por Paranaguá é a melhor alternativa para escoar a produção.

Leia Também