sexta, 20 de julho de 2018

Cobras porque te quero

20 SET 2010Por Bruna Lucianer11h:16

Serpentes, assim como todos os outros animais peçonhentos, desempenham um papel específico no equilíbrio do ecossistema. Sem elas, além do descontrole óbvio da cadeia alimentar, a raça humana perderia a possibilidade de descobrir novos remédios para o controle da hipertensão, controlodores tumorais, intolerância à lactose, analgésicos, anticoagulantes, entre vários outros.
Isso tudo está sendo estudado em laboratórios espalhados pelo mundo todo. Aqui em Campo Grande existe o único serpentário do Estado: o biotério da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Ali, uma equipe de três funcionários e cerca de 10 estagiários trabalha para produzir pesquisas e subsídios de pesquisa científica acerca das serpentes e orientar a população quanto aos hábitos e a importância desses animais na natureza.
Segundo Paula Helena, bióloga e médica veterinária coordenadora do biotério, além da educação ambiental e do suporte à comunidade, há no local “a produção de veneno voltada ao desenvolvimento científico, à biotecnologia”.
O biotério trabalha atualmente, por exemplo, na produção e exportação de uma grande quantidade de veneno de jararaca para a China. Lá, descobriram que o veneno inibe em 100% a ação tumoral do câncer de mama em ratas. Uma das pesquisas em andamento dentro do próprio biotério visa aumentar a produção de veneno e minimizar o estresse do animal em cativeiro.
Os 742 m² de área construída, dentro da Universidade, abrigam hoje 400 serpentes, além de alguns exemplares de anfíbios, cágados, jabutis, jacaré e, é claro, os ratinhos que servem de alimento para as cobras e de material de estudo para os universitários.
As cobras são provenientes de apreensões e doações. A Polícia Militar Ambiental, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) encaminham as cobras peçonhentas para o biotério; as não peçonhentas vão para o CRAS para serem reintroduzidas na natureza.

O que é um biotério

Biotério é uma área específica, autorizada e equipada para acomodar animais para serem utilizados em pesquisas. São produzidos, mantidos e criados roedores e serpentes dentro dos padrões éticos e das condições sanitárias estabelecidas pelas normas internacionais de criação e manutenção de animais.

Como diferenciar cobras peçonhentas e não-peçonhentas

A maneira mais indicada para diferenciá-las é através da constatação da existência ou não da fosseta loreal, um pequeno oríficio localizado entre o olho e a narina. Somente as peçonhentas apresentam esse orifício, com exceção da coral verdadeira.
Mas, se encontrar uma cobra, não é necessário chegar perto para verificar a existência da fosseta loreal. Mantenha distância e ligue para o biotério, eles buscam ela para você.

Curiosidades

Das 400 serpentes existentes hoje no biotério, 70% são peçonhentas,
O veneno das serpentes tem como principal finalidade a digestão dos alimentos. A autodefesa é a segunda função.
Uma cobra adulta se alimenta apenas uma vez por mês, com 20% de seu peso.
As fêmeas estocam sêmem, às vezes de mais de um macho, pelo tempo que acharem conveniente. Há registro de cobras que tiveram filhotes depois de 20 anos isoladas em cativeiro.
A fosseta loreal permite às cobras peçonhentas perceber alterações de 0,00003ºC na temperatura ambiente. Ou seja, ela percebe a entrada de qualquer animal de sangue quente (como os humanos) em seu território. Os óculos infra-vermelhos que detectam calor foram baseados justamente nesse sentido das serpentes.
A disposição das cores nas cobras corais não são seguras para indicar se ela é falsa ou verdadeira. Na Amazônia, por exemplo, existem corais verdadeiras totalmente pretas ou amarelas. O tamanho do olho é um indicador mais eficiente: as falsas tem olhos maiores, enquanto os olhos das verdadeiras tem o tamanho de uma cabeça de alfinete.
A melhor defesa contra picadas é procurar socorro logo, levando junto com a vítima a informação precisa sobre qual a cobra que provocou o acidente.
O biotério da UCDB não produz soro antiofídico. Essa atividade é restrita aos Institutos Vital Brasil no Rio de Janeiro, Butantã em São Paulo e Ezequiel Dias em Minas Gerais.

Visitas

O biotério da UCBD promove atividades de educação ambiental no próprio laboratório ou em escolas, feiras de ciências, exposições. Através do telefone (67) 3312-3688 é possível agendar visitas ou solicitar a captura de cobras.

Leia Também