segunda, 16 de julho de 2018

Co-autor de assassinato pega 16 anos de prisão

25 SET 2010Por 09h:35

Vânya Santos

André Lima Silva foi condenado a 16 anos e seis meses de prisão pelo envolvimento na morte do empresário Alci Pedro Arantes, irmão do ex-prefeito de Rochedo Adão Pedro Arantes (PDT). O julgamento aconteceu ontem, durou mais de 10h e foi conduzido pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Aluízio Pereira dos Santos. Carlos Ximenes Paiva, acusado de ser autor do homicídio, seria julgado nesta sexta-feira, mas a defesa abandonou o plenário e uma nova sessão foi marcada para 5 de novembro.
O crime ocorreu na manhã do dia 26 de outubro de 2006, no momento em que Alci estava no interior de sua caminhonete S10 estacionada em frente a casa da ex-mulher Cynthia Carvalho Martins, na Rua Passos, Bairro São Francisco, na Capital. Ele esperava para levar a filha até a escola quando uma moto conduzida por André se aproximou e Carlos, que estava na garupa, atirou contra a vítima.
O caso chegou a ser arquivado por falta de provas, mas foi reaberto em abril de 2008 e após investigação da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), seis pessoas foram presas.

Crime
Cynthia é apontada como a mandante do assassinato. As investigações apontaram que com a morte do ex-marido, ela pretendia receber o seguro de vida da vítima avaliado em R$ 150 mil, além de se tornar inventariante de um areeiro de propriedade de Alci. A polícia concluiu que a mulher contratou o advogado Gilson Gomes da Costa, que intermediou as negociações entre ela e o agenciador João Batista Domingos, o João Quintura. Este, por sua vez, providenciou uma motocicleta e um revólver calibre 38 especial para que André e Carlos executassem o serviço.
No dia 29 de maio deste ano, João Quintura foi condenado a 16 anos e seis meses de prisão. Já Carlos Vieira Gonsalez foi julgado no dia 22 de abril de 2009 e condenado a nove anos e oito meses de prisão por ter emprestado a moto CB 200, Strada. Em troca ele recebeu R$ 1 mil.

Leia Também