Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Cinco bairros já evidenciam alto risco de infestação do mosquito da dengue

Cinco bairros já evidenciam alto risco de infestação do mosquito da dengue
26/06/2012 15:00 - TARYNE ZOTTINO


Ficará pronto até a próxima segunda-feira (02) o mais recente Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (Lira), que permite conhecer os locais de maior infestação do mosquito. A partir do Lira, será possível apresentar ações direcionadas de combate à dengue em Campo Grande (MS). Os dados disponíveis demonstram que algumas regiões da cidade já evidenciam alto risco de infestação, entre eles os bairros Jardim Veraneio, Alves Pereira, Lageado, TV Morena e Estrela Dalva.

O número de notificações de dengue subiu no segundo trimestre de 2012, indo contra a tendência de queda registrada de janeiro a março. De acordo com a Secretaria de Saúde, nos meses de abril, maio e junho de 2011 foram 991 notificações. Enquanto que neste ano, considerando o mesmo período e os 20 primeiros dias de junho, estão computados 2.048 casos confirmados ou suspeitos da doença. Somente em maio, foram registradas 932 notificações, sendo que no ano passado foram 144 na mesma época.

Nos primeiros três meses do ano, quando geralmente o número de casos aumenta, por conta das chuvas, foi registrada queda de 90% nas notificações. Em 2011, foram 3.240 casos, enquanto que no mesmo período deste ano, os casos somaram 1.910. Esta redução entre os meses de janeiro, fevereiro e março, acabou influenciando no resultado do acumulado no semestre. De janeiro a junho de 2011 foram 4.220 casos e em 2012 - ainda faltando computar 11 dias de junho -, chegou a 3.958. 

(Com informações do CG Notícias)

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.