Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

ATOLEIRO

Chuva volta a causar estragos na MS-320, região do Bolsão

5 ABR 2011Por PERFIL NEWS00h:02

As chuvas do final de semana voltaram a causar grandes estragos nos trechos da MS-320 localizados entre o posto Vera Cruz, na MS-377, e a localidade de Pouso Alto, nas divisas dos municípios de Três Lagoas e Água Clara, no Bolsão.

Na região, cerca de 50 km da MS-320 se tornaram praticamente intransitáveis entre a madrugada de sábado e a ontem(4).

Na região das fazendas Pedra, Cangalha e Bela Vista do Cangalha, por exemplo, a força das águas do córrego Santo Anastácio abriu uma fenda de mais de 50 metros em meio à pista da rodovia, impedindo o tráfego de veículos de qualquer natureza.

No local, podiam-se ver, no final de semana, veículos atolados e parcialmente engolidos pela lama causada pelas enxurradas. Muitos motoristas só conseguiram sair das regiões de atolamentos com o auxílio de tratores e outras máquinas mais potentes.

Pecuaristas disseram que, em decorrência da enxurrada, o escoamento da produção de soja e de rebanhos bovinos está ameaçado na região. As aulas nas escolas rurais da região estariam suspensas há pelo menos dois meses, conforme relatos desses produtores.

Segundo o pecuarista Weliton da Silva Guimarães, é comum as chuvas prejudicarem as estradas da região nessa época do ano. Ele lembrou que os problemas de trafegabilidade na MS-320, que possui cerca de 235 km de extensão, existem há pelo menos cinco anos.

O pecuarista cobrou obras mais urgentes e duradouras na região por parte da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul (Agesul).

Outro lado

Ontem pela manhã, o diretor da região do Bolsão da Agesul, Dirceu Deguti, explicou que o órgão já enviou à região das fazendas Pedra, Cangalha e Bela Vista do Cangalha, uma equipe de emergência para fechar a fenda que se abriu em meio ao trecho da MS-320.

Ele falou que os trabalhos de recuperação dos trechos mais afetados pelas chuvas deverão durar até pelo menos a tarde desta terça-feira (5). Segundo Deguti, é a quarta vez, desde o mês de novembro, que o trecho que corta as três fazendas é danificado pelas enxurradas.

Segundo Deguti, embora a Agesul mantenha desde novembro três equipes de trabalhadores ao longo das regiões mais afetadas da MS-320, as chuvas impedem uma trafegabilidade constante da via.

“Estamos no local com equipes constantes de emergência. Só que na região, a exemplo de todo Mato Grosso do Sul, as fortes chuvas têm comprometido os trabalhos constantes de reparos das vias mais essenciais”, afirmou o diretor regional da Agesul.

Deguti ressaltou que a Agesul estuda construir uma ponte na região do córrego Santo Anastácio, para que se coloque um fim nas enxurradas que rotineiramente causam danos ao trecho da MS-320 que passa principalmente pelas fazendas Pedra, Cangalha e Bela Vista do Cangalha. Ele disse, no entanto, que a construção de uma ponte no local depende da abertura de um processo de licitação, que demandaria ainda um bom tempo para ser concretizado.

 

Várias frentes 

Segundo Deguti, atualmente a Agesul mantêm três equipes ao logo da MS-320, para manter a trafegabilidade da via. Ele lembrou que a rodovia possui pelo menos 40 anos e os problemas de enxurradas na via sempre existiram.

O diretor da Agesul no Bolsão também contou que o governo do Estado tem projetos orçados em cerca de R$ 200 milhões para reparos de rodovias pavimentadas na região. Cerca de R$ 141 milhões seriam investidos, segundo ele, no trecho da MS-112 que liga os municípios de Três Lagoas e Inocência, e outros R$ 50 milhões em obras de restauração asfáltica entre as cidades de Água Clara e Inocência.

Leia Também