Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Chuva pode deixar o GP da Malásia mais equilibrado

2 ABR 10 - 23h:00
SEPANG, Malásia

O Grande Prêmio da Malásia de Fórmula 1, que acontece no domingo no circuito de Sepang, próximo a Kuala Lumpur, será palco de nova disputa das escuderias Ferrari, McLaren e Red Bull, e que pode ficar mais equilibrado com a ameaça da chuva.

Na liderança do Mundial, com quatro pontos de vantagem sobre o companheiro de equipe Felipe Massa, o espanhol Fernando Alonso tem por único objetivo vencer o campeonato. “Meu único objetivo é vencer o Mundial e pontuar no domingo. Não vou me preocupar com nenhuma outra coisa que não seja isso”, declarou.

Entretanto, Alonso não tem o carro mais rápido da competição. Sua Ferrari está um pouco atrás do carro da Red Bull, “o melhor” do grid de largada, segundo o piloto duas vezes campeão do mundo (2005 e 2006).

Tempestade

Independentemente de quem ganhar, o vencedor em Sepang terá que se impor na chuva, que é muito provável no domingo. Ontem, o circuito foi atingido por uma tempestade tropical. Rubens Barrichello, piloto da Williams, que voltava ao hotel no momento da chuva, ficou assustado. “Se chover na corrida o que choveu hoje (quinta) à tarde, vamos precisar de boia”, disse Barrichello, em sua página no Twitter.

O Grande Prêmio da Malásia foi interrompido na metade da corrida em 2009 pelos alagamentos no circuito após duas fortes chuvas, e nesta temporada decidiu-se adiantar um pouco o horário da competição (16h locais – 5h MS).
O treino de classificação, que vai definir o grid de largada do Grande Prêmio, acontece na madrugada de sábado, às 3h (MS).
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Mercosul concluiu acordo comercial com países do Efta, diz Bolsonaro

ECONOMIA

Caixa avalia mudança para taxa prefixada no financiamento imobiliário

BRASIL

Lula se cala na Pentiti, 64ª fase da Lava Jato

BRASIL

Maia: País vive 'quase um estado autoritário', inclusive na área do meio ambiente

Mais Lidas