quarta, 18 de julho de 2018

Pontes cobertas

Chuva deixa ilhadas Aquidauana e Anastácio; Exército improvisa

4 MAR 2011Por vivianne nunes e danúbia burema14h:16

As duas únicas pontes que dão acesso às cidades vizinhas de Aquidauana e Anastácio estão praticamente intransitáveis. O nível do Rio Aquidauana já ultrapassou os dez metros e a água cobriu as pontes. Na chamada Ponte Nova, equipes do 9º Batalhão de Engenharia de Combate, improvisaram uma passarela para que os pedestres possam chegar até o outro lado, o que está sendo feito com limitação de 10 pessoas pela ponte e com uso obrigatório de coletes salva-vidas. Já na Ponte Velha, carros grandes como caminhonetes conseguem passar, mas a água já atingiu a cabeceira da ponte. Reportagem do Correio do Estado que está no local pôde constatar de perto a correnteza forte das águas. Outro acesso que poderia levar até a cidade vizinha, a estrada para Piraputanga também está alagada.

Segundo informações do tenente coronel José Henrique Araujo dos Santos, comandante do 9º Batalhão, 40 homens estão no suporte da passarela, que é uma estrutura de alumínio amarrada com cordas. Vinte soldados estão ajudando a retirar famílias e seus pertences da região ribeirinha e dez foram para Palmeiras, também para auxiliar na remoção das pessoas.

Além dos dois caminhões e dois jipes do Exército que estão auxiliando na missão, a prefeitura disponibilizou maquinários como tratores e caminhões. Antes da passarela ser improvisada na Ponte Velha, a travessia estava sendo feita com a utilização de uma pá carregadeira do município.

As ruas com maior problema de alagamento são as paralelas ao rio, próximas do quartel do Corpo de Bombeiros de Aquidauana. Militares estão todos empenhados em ajudar a carregar móveis o que tem ocorrido ainda de maneira demorada pois há apenas dois barcos para fazer a retirada dos objetos pessoais das pessoas. As embarcações não possuem motor e a dificuldade mair é enfrentar a correnteza à remo. Em determinadas situações, barcos particulares também estão auxiliando as pessoas. O cenário é desolador e em alguns pontos das cidades, a água já está bem próxima do telhado das casas. Famílias ribeirinhas foram retiradas das áreas alagadas e alojadas no ginásio de Aquidauana.
 

Leia Também