Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Chrome cresce 10 pontos e avança sobre o Firefox e o IE

Chrome cresce 10 pontos e avança sobre o Firefox e o IE
05/04/2011 19:00 - idgnow


O Chrome continua aumentando sua presença no mercado de navegadores. O software da Google, que em março de 2010 possuía 7,3% do setor, chegou a abril deste ano com 17,4%. Ganhou, portanto, mais de 10 pontos percentuais, e é o único, segundo os números da StatCounter, que obteve crescimento significativo no período.

O que o browser da gigante das buscas conquistou, o Internet Explorer, da Microsoft, perdeu. Em doze meses, o IE caiu de 54,4% para 45,1% – queda de 17%. Devido ao mau desempenho dos últimos doze meses, o browser da companhia de Redmond já não tem a posição privilegiada que tinha há dois anos. Juntos, Chrome e Firefox superam a participação do rival – a primeira vez que isso ocorreu foi em janeiro.

O browser da Mozilla, porém, também perdeu espaço. Em um ano, seu domínio foi de 31,3% para 30% – a nova versão do software, o Firefox 4, deverá a ajudá-la a reverter essa situação. Já o Safari, da Apple, chegou a 5% – cresceu 0,85 pontos – e o Opera se manteve com 2%.

Diferenças
É importante destacar que o resultado da pesquisa do StatCounter é muito diferente dos números apresentados pelo instituto NetApplications. Para este último, o IE possui 56%, ante 23% do Firefox e 12% do Chrome. Ambos, no entanto, atestam a queda do IE e o crescimento do navegador da Google.

Em outubro de 2010, as diferenças entre os institutos já haviam sido reconhecidas. Tanto o Net Applications quanto o StatCounter aplicam certas regras e filtros a fim de que as informações obtidas sejam traduzidas em gráficos concisos. As empresas, porém, não têm um entendimento quanto às normas que devem ser utilizadas. No final das contas, temos dois estudos bem distintos, mas que, de qualquer forma, apontam para uma tendência.

Felpuda


Tudo indica que o MDB não conseguiu convencer o PSDB de iniciar namoro com vistas a casamento nas eleições, e a ideia teria sido descartada. Os tucanos demonstraram que o problema deles não é o cargo: os emedebistas ofereceram a vaga de vice na disputa à Prefeitura de Campo Grande, a mesma cobiçada pelos tucanos, mas na chapa do PSD do atual prefeito. A questão, politicamente falando, seria, digamos, o oferecido “noivo”. Afe!