Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

Oportunidades

China traz lobista ao Brasil para investir em biotecnologia

12 MAI 2011Por IG21h:31

Não é de hoje que a China demonstra interesse no setor brasileiro de biotecnologia. Mas, ao que tudo indica, o apetite dos investidores chineses por companhias brasileiras do setor aumentou nos últimos meses. Um dos principais lobistas da China nos Estados Unidos acaba de “assumir” também o mercado brasileiro.

O executivo, que desembarcou no Brasil em março, já visitou empresas farmacêuticas nacionais e grupos produtores de etanol. Com pelo menos R$ 500 milhões a serem investidos numa primeira rodada, os investidores chineses representados pelo executivo buscam oportunidades de associações e até mesmo de aquisições.

A remanejamento do executivo vai ao encontro dos planos da China para o setor de biotecnologia. Com capital e interesse em tornar o país menos dependente de exportações de produtos de baixo valor agregado, o governo chinês afirmou em seu último plano qüinqüenal - para o período de 2011 a 2015 - que a biotecnologia é um dos sete setores prioritários para investimentos nos próximos anos. Além de investir em educação e dar apoio às companhias, buscar parcerias fora do país é uma das estratégias chinesas para absorver experiências e desenvolver sua indústria tecnológica.

Na China, o tamanho da indústria de biotecnologia é estimado em US$ 9 bilhões (R$ 14,6 bilhões), sendo composto por mais de 580 empresas de biotecnologia com patrimônio líquido inferior a US$ 10 bilhões, segundo o artigo “Uma introdução para a indústria de biotecnologia chinesa”, publicado no ano passado por Sarah Xuan, associada do escritório de advocacia MMLC em Pequim.

Altamente dependente do financiamento do governo central chinês, as empresas de biotecnologia chinesas conseguem grandes apoios de fundos governamentais para crescer, principalmente por meio de projetos de incentivos às empresas locais: “Programa Nacional de Pesquisa de Alta Tecnologia e Desenvolvimento” e “Programa Nacional de Pesquisa Básica.”

Para tecnologias limpas, por exemplo, fundos do governo chinês para o apoio de empresas somavam US$ 84 bilhões (R$ 136 bilhões) até o fim do ano passado, segundo a pesquisa Economia limpa, planeta habitável – prontos para crescer”, que a consultoria alemã Roland Berger elaborou a pedido da WWF.

Leia Também