Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

Chevron quer ser parceira do Brasil em desenvolvimento energético

18 JUL 2012Por agência brasil12h:30

Oito meses depois do início do vazamento de petróleo no Campo do Frade, a Chevron confirmou que pretende retomar a produção de óleo no local e informou que espera ser "parceira do País no desenvolvimento de seu potencial" energético. A empresa petrolífera parou de produzir petróleo em Frade, na Bacia de Campos, em março deste ano. No entanto, ela permanecerá impedida de desempenhar o trabalho no local até que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) apure as causas dos dois vazamentos ocorridos sob sua operação.

Em nota divulgada pela assessoria de imprensa da empresa, a Chevron diz que está "trabalhando com a ANP em relação a todas as questões referentes ao Campo de Frade, incluindo o retorno à produção". A multinacional informa ainda que respeita o relacionamento com o Brasil e espera "ser um parceiro do País no desenvolvimento de seu potencial como uma superpotência energética".

Na nota, a empresa também diz estar confiante de que sempre atuou de forma "diligente e apropriada", "em conformidade" com os planos de Exploração e de Emergência no Campo de Frade.

Ontem, a ANP informou que a Chevron deve oficializar até o final deste mês o pedido para que a produção de Frade seja retomada pela empresa. A agência também informou que deve divulgar esta semana o resultado das investigações sobre o vazamento de petróleo, com o valor da multa que será cobrada da empresa petrolífera.

Vazamentos
Quatro meses após o vazamento de mais de 2 mil barris de petróleo no campo de Frade durante atividades de perfuração, em novembro do ano passado, um pequeno volume de óleo vazou de uma rachadura de 800 m a 1200 m, localizada a 3 km da região onde ocorreu o primeiro vazamento, em março de 2012. Segundo a ANP, a Chevron sofreu 25 atuações e multas, que, juntas, somarão uma quantia inferior a R$ 50 milhões.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também