Chevrolet Classic ganha série Advantage

Chevrolet Classic ganha série Advantage
09/03/2014 04:00 - automotivebusiness


Depois de Celta, Cobalt e Spin, é a vez do Chevrolet Classic ganhar série especial Advantage. Por preço sugerido de R$ 34.170, a versão se difere por ter novos itens de conforto, de conveniência e de aparência.

O Classic Advantage tem de série freios ABS com EBD, airbags duplos dianteiros, direção hidráulica, ar-condicionado integrado, travas elétricas nas quatro portas, alarme antifurto, fechamento automático acionado pelo “Keyless Entry System”, vidro elétrico das portas dianteiras com acionamento por “um toque” e fechamento automático pela chave.

No interior, a novidade é a cor “cinza aquarium”, aplicada no painel central, na manopla e nos botões de buzina do volante. No exterior, são novas as rodas de alumínio com aro de 14 polegadas, os adesivos de coluna e dos retrovisores pintados na cor preto brilhante, e as molduras laterais na cor cinza do veículo.

Todas as versões do Classic são equipadas com o motor 1.0 Econo-Flex, que, segundo a General Motors, desenvolve 78 cavalos quando abastecido com o etanol. Com gasolina, a potência é de 77 cavalos.

“Obtivemos sucesso com as primeiras séries especiais lançadas em 2013 para Celta, Cobalt e Spin e decidimos continuar com esta estratégia de marketing agora também com um dos modelos mais vendidos da linha Chevrolet, o Classic. Trata-se do sedã mais barato do País e que confere ótimo valor de revenda, baixo custo de manutenção e seguro barato, configurando-se como um dos modelos de melhor relação custo-benefício do mercado brasileiro”, declara Marco Aurélio Pacheco, diretor de marketing da Chevrolet.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".