Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Chery, a nova chinesa em nosso Estado

23 JUL 10 - 10h:45
Mais uma marca de “olhos puxados” abriu concessionária em Campo Grande. A chinesa Chery está funcionando na Av. Joaquim Murtinho, 2.293, já próximo à Av. Ceará, no antigo prédio da Peugeot Biarritz. Reginaldo Batista, gerente da concessionária, nos conta, na entrevista abaixo, que a montadora tem planos ambiciosos para o mercado brasileiro, que se tornou uma das vedetes do cenário automotivo mundial.

A Chery é uma chinesa que tem pretensões ambiciosas em nosso mercado. Como é a marca?
A Chery já definiu o Vale do Paraíba, no interior paulista, como destino de sua fábrica no Brasil. A empresa pretende investir US$ 500 milhões em uma unidade com capacidade para 100 mil automóveis por ano. Os chineses estariam também avaliando áreas em Taubaté, Jacareí e São José dos Campos.
Sabemos que a Chery tem o projeto de 3 motores flex para atender ao  mercado local e isso mostra o compromisso de crescimento no Brasil.

Quais modelos se destacam na linha?
Recentemente, a Chery apresentou o Cielo, que chegou nas versões  hatch e sedan por R$ 41.900, equipado com motor 1,6 de 119 cavalos, freios a disco nas 4 rodas, A.B.S e E.B.D, além de duplos airbags, ar-condicionado, vidros e travas elétricas e direção hidráulica. Com garantia de três anos, o carro é o terceiro oferecido pela marca, que concentra suas operações no País em Salto (SP). A Chery já lançou o Tiggo e comercializa o Face. Esses modelos têm feito sucesso nas ruas brasileiras. Ainda temos que melhorar mais nossas vendas, para que as pessoas vejam o carro rodando, e isso está acontecendo.
Nossos carros são completos e oferecem excelente conforto, baixo consumo de combustível, e um valor baixo, proporcionando um ótimo custo/benefício.

Os modelos chineses ainda enfrentam certo preconceito quanto a qualidade de seus veículos. Como vencer isso?
Vivemos novos tempos e a Chery veio para desmistificar que os asiáticos são de qualidade duvidosa. Isso já aconteceu com as marcas japonesas e depois com as coreanas, que hoje contam com grande prestígio no Brasil. Acredito que vamos demorar bem pouco para ganhar a credibilidade dos consumidores brasileiros.

O que podemos destacar no atendimento ao cliente? Podemos confiar num estoque de peças, por exemplo?

Sim. A maior preocupação da Chery é com o pós-vendas. Entendemos como qualidade no atendimento um custo operacional baixo, com facilidade de compra de peças a um preço justo. Além disso, primamos pelo que é cobrado na oficina. O cliente tem que estar satisfeito em todas as fases de sua compra e vida com o carro de nosso marca.

Temos uma nova leva de marcas em nosso país. Além das japonesas, temos agora o fortalecimento das coreanas e a chegada das chinesas e indianas. Como a concessionária vê a entrada de novas marcas no mercado?
É benéfica essa concorrência, principalmente para o consumidor, que tem mais opções a sua escolha. Com isso o número de vendas fica mais dividido entre as marcas. Esperamos vender no País cerca 1.500 unidades por mês e, em nosso Estado, entre 40 e 50 unidades, por mês, inicialmente.

Esta coluna tem apoio da
Fenabrave regional MS.
www.fenabravems.com.br

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Com demanda de volta, governo articula reativação de ferrovia
TRANSPORTE

Com demanda de volta, governo articula reativação de ferrovia

Polícia prende primeiro foragido; secretário de Segurança está em reunião com governador
FUGA EM MASSA

Polícia prende primeiro foragido; secretário de Segurança está em reunião com governador

Brasil “fecha” fronteira após fuga em massa
PRESOS DO PCC

Brasil “fecha” fronteira após fuga em massa

Estado tem 19 usinas de biocombustível
AGRONEGÓCIOS

Com 19 usinas, produção de biocombustível avança

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião