Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Cesta básica acumula alta de 3,3% este ano na Capital

Cesta básica acumula alta de 3,3% este ano na Capital
06/03/2010 03:54 -


A cesta básica com 44 produtos, recomendada para famílias com cinco pessoas, acumula alta de 3,39% neste ano, e ficou 1,15% mais cara em fevereiro, quando foi vendida a R$ 981,74 em Campo Grande. Em janeiro, ela era comprada com R$ 970,54. As informações constam no levantamento mensal da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, das Cidades, do Planejamento da Ciência e Tecnologia (Semac). Dos itens que compõem a cesta, 21 tiveram alta nos preços. No grupo alimentação, a pesquisa constatou alta de 1,28%. A laranja, em período de entressafra, teve os valores elevados em 13%. Outros itens também pesaram no bolso: tomate (10,71%); açúcar (9,55%); alho (7,69%); alface (5,92%); feijão (5,90%); carne (5,44%); abobrinha (5,36%); arroz (3,89%) e pão (3,56%). Mais baratos Na cesta, 18 produtos tiveram redução de preços, entre eles o mamão, 10,26% mais em conta por causa da expansão da área plantada e da boa produtividade. A maior oferta da fruta no mercado interno derrubou os preços. Mesmo caso da cebola, que chegou em maior quantidade às gôndolas em consequência da safra e importação, e teve valores reduzidos em 4,73%. Higiene e limpeza O grupo higiene pessoal registrou variação negativa de 0,29%. O produto de maior queda foi o papel higiênico (13%), seguido de absorvente (8,39%); creme dental (2,1%); e lâmina de barbear (2%). Os valores dos itens do grupo l impeza domést ica apresentaram baixa de 0,54%. O detergente recuou 4,49%, mais do que cera em pasta (2,22%); sabão em barra (1,49%) e sabão em pó (0,58%). Já o desinfetante e a esponja de aço subiram 4% e 2,88%, respectivamente, nas prateleiras dos supermercados. Solteiros A cest a ma is en xut a, composta por 15 produtos e recomendada para um trabalhador adulto, acumula alta de 7,75% em 2010, vendida a R$ 215,34. Em fevereiro, o aumento foi de 4,59%, em comparação com o mês anterior. Para comprar os itens avaliados pelo levantamento, o morador de Campo Grande que recebe salário mínimo de (R$ 510) deixou 42,2% do rendimento no supermercado. Dos produtos que compõem a cesta básica dos solteiros, 12 registraram alta. Entre eles estão laranja (13,11%), tomate (10,63%); e açúcar cristal. A laranja está no período de entressafra, ou seja, a menor oferta, sem queda na procura, aumentou os preços. É a lei básica da economia que uma visita à feira livre explica. Já para entender a alta no açúcar é preciso ir mais longe. A Índia, maior produtora da commodity (mercadoria primária negociada nas bolsas de valores) freou a produção, obrigando o Brasil a vender mais ao mercado internacional. A exportação mais consistente diminui a oferta de açúcar no País, e elevou os preços do produto.

Felpuda


Pré-candidato pode estar sendo “fritado” sem ao menos perceber. Redes sociais que têm estreitas ligações com ex-cabecinhas coroadas e que prometeram apoio estão enaltecendo que só certo pré-candidato de outro partido. Quem conhece as ditas figurinhas de, digamos, outros carnavais, acredita que está em curso operação sorrateira para mudar internamente os rumos da futura campanha. Trocando em miúdo: ceder a cabeça de chapa.