Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Cesta básica acumula alta de 3,3% este ano na Capital

6 MAR 10 - 03h:54
A cesta básica com 44 produtos, recomendada para famílias com cinco pessoas, acumula alta de 3,39% neste ano, e ficou 1,15% mais cara em fevereiro, quando foi vendida a R$ 981,74 em Campo Grande. Em janeiro, ela era comprada com R$ 970,54. As informações constam no levantamento mensal da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, das Cidades, do Planejamento da Ciência e Tecnologia (Semac). Dos itens que compõem a cesta, 21 tiveram alta nos preços. No grupo alimentação, a pesquisa constatou alta de 1,28%. A laranja, em período de entressafra, teve os valores elevados em 13%. Outros itens também pesaram no bolso: tomate (10,71%); açúcar (9,55%); alho (7,69%); alface (5,92%); feijão (5,90%); carne (5,44%); abobrinha (5,36%); arroz (3,89%) e pão (3,56%). Mais baratos Na cesta, 18 produtos tiveram redução de preços, entre eles o mamão, 10,26% mais em conta por causa da expansão da área plantada e da boa produtividade. A maior oferta da fruta no mercado interno derrubou os preços. Mesmo caso da cebola, que chegou em maior quantidade às gôndolas em consequência da safra e importação, e teve valores reduzidos em 4,73%. Higiene e limpeza O grupo higiene pessoal registrou variação negativa de 0,29%. O produto de maior queda foi o papel higiênico (13%), seguido de absorvente (8,39%); creme dental (2,1%); e lâmina de barbear (2%). Os valores dos itens do grupo l impeza domést ica apresentaram baixa de 0,54%. O detergente recuou 4,49%, mais do que cera em pasta (2,22%); sabão em barra (1,49%) e sabão em pó (0,58%). Já o desinfetante e a esponja de aço subiram 4% e 2,88%, respectivamente, nas prateleiras dos supermercados. Solteiros A cest a ma is en xut a, composta por 15 produtos e recomendada para um trabalhador adulto, acumula alta de 7,75% em 2010, vendida a R$ 215,34. Em fevereiro, o aumento foi de 4,59%, em comparação com o mês anterior. Para comprar os itens avaliados pelo levantamento, o morador de Campo Grande que recebe salário mínimo de (R$ 510) deixou 42,2% do rendimento no supermercado. Dos produtos que compõem a cesta básica dos solteiros, 12 registraram alta. Entre eles estão laranja (13,11%), tomate (10,63%); e açúcar cristal. A laranja está no período de entressafra, ou seja, a menor oferta, sem queda na procura, aumentou os preços. É a lei básica da economia que uma visita à feira livre explica. Já para entender a alta no açúcar é preciso ir mais longe. A Índia, maior produtora da commodity (mercadoria primária negociada nas bolsas de valores) freou a produção, obrigando o Brasil a vender mais ao mercado internacional. A exportação mais consistente diminui a oferta de açúcar no País, e elevou os preços do produto.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Dia do Pantanal pode entrar no calendário de eventos de Mato Grosso do Sul
BIOMA IMPORTANTE

Dia do Pantanal pode entrar no calendário de eventos de MS

Protagonista de aditivo milionário, wi-fi é a próxima etapa do Reviva
RUA 14 de JULHO

Protagonista de aditivo milionário, instalação do wi-fi é a próxima etapa do Reviva

MP de Bolsonaro acaba com necessidade de registro profissional
DELEGACIA DO TRABALHO

MP de Bolsonaro acaba com necessidade de registro profissional

Morador de rua é encontrado morto com sinais de violência sexual
CAMPO GRANDE

Morador de rua é encontrado morto com sinais de violência sexual

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião