Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

TRÊS LAGOAS

CESP vai aumentar vazão na Usina de Jupiá

10 MAR 2011Por ANA MARIA BARBOSA18h:02

Com o aumento de chuvas registrado nos últimos dias na bacia do rio Paraná e a previsão de mais chuvas para os próximos dias, a Companhia Energética de São Paulo (CESP) vai ampliar a vazão da usina Souza Dias, a Usina de Jupiá, em Três Lagoas, para 17 mil metros cúbicos por segundo, nesta sexta-feira (11), e emitir um boletim de alerta para os moradores ribeirinhos, o chamado Boletim Informativo de Vazão (BIV).
O boletim é emitido para todos os municípios que margeiam o reservatório e põe em alerta os sistemas de defesa civil. A vazão a que deverá chegar a usina, nesta sexta-feira, é 140% maior que os 7 mil metros cúbicos por segundo, que são registrados em período mais secos. Desde a semana passada, o índice de vazão vem sendo aumentado e, ontem (10), chegou a 15.900 metros cúbicos por segundo.
Os efeitos da subida do rio Paraná começam a ser sentidos no bairro de Jupiá, em Três Lagoas, onde uma estrada que margeia o rio e dá acesso a vários pontos já está alagada. A água também alcança os muros dos restaurantes localizados à beira-rio e os postes de iluminação também estão parcialmente sob a água.
O alerta também vale para os pescadores da Colônia de Jupiá, que costumam pescar na saída do vertedouro da usina, pois o volume de água está bastante elevado, chegando a formar algumas ondas.
O presidente da Associação de Moradores de Jupiá, Gilmar Leite, o Gil do Jupiá, afirmou que até agora ainda não há riscos de inundação de casas, porque grande parte dos cerca de dois il moradores está na parte alta do bairro, após um acordo para deixarem a parte baixa, há cerca de 20 anos. No entanto, ele avalia que mais vazão poderá significar prejuízos para alguns donos de rancho e de restaurantes localizados em área de maior risco.
Na avaliação de Gil, o nível do rio já subiu cerca de dois metros e um metro a mais poderá representar transtornos. “Vamos colocar a quadra poliesportiva à disposição de quem precisar trazer freezer e outros móveis, para evitar prejuízos”, afirmou.
O líder comunitário também afirma que nos últimos quatro anos o nível do rio não ultrapassou o nível em que se encontrava ontem (10). “Até aqui não oferece risco, mais do que isso, começamos a nos preocupar”, explicou.
A Cesp não informou o comparativo entre a vazão a ser feita hoje e a de anos anteriores. Segundo nota da assessoria de imprensa, a operação é coordenada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e está sendo seguida em todas as usinas nas bacias do Tietê, Paraná e Paraíba do Sul. “Os critérios são adotados para manter os níveis recomendados no Plano Anual de Prevenção de Cheias (PAPC), do Sistema Interligado Nacional (SIN)”, diz a nota.

A Usina Jupiá conta com dois tipos de vertedouros – sistema composto de comportas que podem ser abertas e fechadas para controle de passagem da água. O vertedouro de superfície, que pode ser visto normalmente pelas pessoas, tem quatro comportas e o vertedouro de fundo, que fica submerso, tem 37 comportas de fundo.
 

Leia Também