Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

PREVENÇÃO AO CÂNCER

Cerca de 250 mulheres farão exames na área rural

26 MAR 2011Por da redação19h:35

A unidade móvel do Útero é Vida, o Programa de Prevenção do Câncer do Colo do Útero da Mulher Rural desenvolvido pelo sistema CNA/Senar, dá inicio aos atendimentos deste ano em Mato Grosso do Sul. Na próxima semana, cerca de 250 mulheres devem ser atendidas em uma unidade móvel que foi equipada como um consultório médico para realizar exames de papanicolau. O caminhão do Útero é Vida estará em Ponta Porã, na segunda-feira (28.03) e terça-feira (29.03), durante a 37ª Exporã, e dia 1° de abril, no assentamento de Nioaque, atendendo mulheres do meio rural que não tem acesso aos serviços de saúde.

Mato Grosso do Sul é um dos três estados do Brasil que recebeu a unidade móvel do Útero é Vida. O objetivo é percorrer os municípios do Estado realizando gratuitamente exames papanicolau, fazendo prevenção e levando informações sobre o câncer do colo de útero. A unidade tem capacidade para realizar até 90 procedimentos por dia.O atendimento é feito em áreas rurais, prioritariamente em locais onde a população não tem acesso às unidades de saúde. Em 2009, quando foi realizado um projeto piloto da iniciativa em MS, 518 mulheres dos municípios de Iguatemi, Inocência e Glória de Dourados receberam o atendimento em postos de saúde.

Os resultados dos exames devem ser divulgados em aproximadamente 15 dias após o atendimento. As mulheres que forem identificadas com alterações celulares serão encaminhadas para tratamento pelos órgãos responsáveis.

O Programa Útero é vida é realizado pelo Senar/MS em parceria com sindicatos rurais municipais. Durante a realização das atividades, cada participante recebe um kit de beleza contendo cosméticos e produtos de higiene pessoal. Para participar, as interessadas devem ser trabalhadoras rurais, esposas ou filhas de produtores e trabalhadores rurais.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também