POLÍTICA

Centro Cultural José Octávio Guizzo passará por reforma

Centro Cultural José Octávio Guizzo passará por reforma
17/05/2010 21:56 -


Thiago Andrade

 

Será assinada na manhã de hoje, às 8h30min, a Ordem de Serviço para a primeira etapa da revitalização do Centro Cultural José Octávio Guizzo. Um dos principais espaços culturais de Campo Grande, o centro, que abriga o Teatro Aracy Balabanian além de salas e galerias, não recebe reforma há 14 anos.

Embora receba grande parte dos espetáculos teatrais encenados na cidade, críticas às instalações são comuns, com muitos artistas já tendo reclamado das falhas acústicas e elétricas do local.

Cerca de R$ 415 mil serão destinados às obras, que preveem troca do sistema de climatização, complementação de aparelhos de iluminação e do cortinado, lavagem completa do carpete, além de reparos das poltronas, do elevador e das instalações elétricas e hidráulicas, pintura e adequação de acessibilidade.

O dinheiro foi obtido por meio de emenda complementar da senadora Marisa Serrano ao Ministério da Cultura (MinC). Em contrapartida, o Governo do Estado liberou R$ 84 mil.

A empresa Congeo – Construção e Comércio Ltda. foi a contratada para a execução das obras, tendo sido escolhida por meio de licitação do tipo tomada de preço. A previsão de entrega é de, aproximadamente, sete meses. Não haverá alterações arquitetônicas no prédio localizado na Rua 26 de Agosto, 453. A solenidade é aberta ao público e acontecerá no anfiteatro da governadoria, no Parque dos Poderes.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".