Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

AUMENTO DE JUROS

Centrais Sindicais fazem sardinhada em frente ao Banco Central

20 ABR 11 - 21h:20AGÊNCIA BRASIL

Dirigentes de cinco centrais sindicais protestaram hoje, em frente à sede do Banco Central (BC), em São Paulo, contra o possível aumento da taxa básica de juros (Selic), que será anunciado hoje (20) pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC. O protesto foi acompanhado por cerca de 200 pessoas, segundo a Polícia Militar.

“Essa pequena reunião que estamos fazendo na frente do Banco Central é simbólica. Não é uma grande manifestação, mas é a primeira simbolicamente importante porque é a terceira vez que o Copom se reúne e, com certeza, vai aumentar os juros pela terceira vez. Aumentar juros significa menos emprego, menos produção e menos crescimento e desenvolvimento do país”, disse Paulo Pereira da Silva, deputado federal (PDT-SP)e presidente da Força Sindical.

Para o presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Antonio Neto, o ideal para a Selic seria que a taxa fosse em torno de 8,5%, considerando a inflação mais 2% de juro real. Hoje ela está em 11,75%.

Durante a manifestação, foram distribuídas cerca de 50 quilos de sardinha, preparadas pelo sindicalista Ronaldo Garcia de Souza. “Foi distribuída para todo mundo. Até quem não tinha nada a ver participou”. Segundo ele, a sardinha foi preparada com sal grosso e assada numa churrasqueira, instalada na frente do Banco Central, na Avenida Paulista.

“A simbologia é a seguinte: em vez de dar dinheiro para banqueiro, que é tubarão, vamos dar dinheiro para o povo, na saúde, na educação e na geração de emprego”, afirmou o presidente da CGTB.

Além da Força Sindical e da CGTB, participaram da manifestação a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), da União Geral dos Trabalhadores (UGT) e da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST).

No manifesto, as centrais pedem a redução da Selic, a ampliação dos investimentos sociais e o financiamento público para as pequenas e médias empresas e ainda criticam o controle da inflação com o aumento dos juros.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Judiciário e governo buscam reduzir milhões de ações contra o INSS

São abertas cerca de 7 mil novas demandas diariamente contra o órgão
Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA
ECONOMIA

Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA

COMPRA DE ENERGIA

Diretor de Itaipu acredita que acordo com Paraguai sairá em breve

STJ nega recurso e prefeitura deve indenizar moradores por alagamentos
SERRADINHO

STJ manda prefeitura indenizar moradores por alagamentos

Mais Lidas