ESPORTES

Cene passa pelo MS Saad e segue em primeiro no Estadual

Cene passa pelo MS Saad e segue em primeiro no Estadual
05/04/2010 22:28 -


JAKSON PEREIRA

Líder do grupo B do Estadual e caminhando tranquilo rumo à vaga na seletiva para Série D do Campeonato Brasileiro, o Cene venceu o MS Saad por 2 a 1, de virada, chegou aos 29 pontos e abriu três pontos de vantagem para o Chapadão, que empatou com o União por 1 a 1. O time campo-grandense ainda tem um jogo a menos.
A partida foi disputada na tarde de ontem, no Estádio Morenão, e começou com Tiago Teneta abrindo o placar para o Saad logo aos seis minutos de jogo. Ainda no primeiro tempo, Edmilson Dubinha cobrou falta e contou com a falha do goleiro Cleber para empatar o confronto. No segundo tempo, Cafu, lateral direito cenista, deu números finais ao jogo.
“Esta foi uma das partidas mais difíceis do campeonato e agora, com três pontos de vantagem e um jogo a menos em relação ao segundo colocado, estamos próximos de alcançar nossos objetivos”, comentou o técnico do Cene, José Macena.

Grupo A
O invicto Naviraiense perdeu a liderança do grupo A ao empatar com o Itaporã por 1 a 1 e ver o Águia Negra atropelar o Guaicurus por 5 a 0. Com os resultados, o time de Naviraí foi a 25 pontos e o Águia Negra a 26, porém o Naviraiense tem um jogo a menos e segue com esperança de disputar o Campeonato Brasileiro.
A rodada do Campeonato Estadual neste fim de semana teve ainda os seguintes jogos: Pantanal 4 x 2 Mundo Novo, Comercial 1 x 2 Costa Rica, Misto 2 x 3 Rio Verde e Corumbaense 2 x 0 Sete de Setembro.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".