Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

TELEFONIA

Celular completa 20 anos de sua chegada ao Brasil nesta quinta-feira

30 DEZ 2010Por InfoMoney08h:09

Muita coisa pode mudar em um País durante um período de 20 anos, e a tecnologia está embutida neste ritmo de transformação.

Foi assim com o celular, que aportou no Brasil exatamente no dia 30 de dezembro de 1990. Nessa data os aparelhos começaram a funcionar no Rio de Janeiro, com capacidade para apenas 667 terminais.

Provavelmente poucas pessoas imaginaram que em duas décadas o País chegaria a marca de 198 milhões de celulares em operação no território nacional, segundo dados de novembro.

As estatísticas são ainda mais relevantes quando se leva em consideração o nível de densidade de aparelhos e habitantes.

De acordo com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), existem 101,96 celulares por grupo de cem habitantes no Brasil. Nas regiões Centro Oeste, Sudeste e Sul, por exemplo, há mais de um celular por pessoa.

Expansão

Em 2008, por exemplo, a base instalada de telefonia móvel era de 150,6 milhões, número que sofreu acréscimo de 16% já em 2009, com 174 milhões de unidades.

Neste ano, houve um salto de 15%, o que deve fazer com que 2010 feche com uma base instalada de 200 milhões de celulares, segundo a Abinee (Associação Brasileiro da Indústria Elétrica e Eletrônica).

Opiniões
Em um período de 20 anos, o celular no Brasil passou a ser mais do que um simples aparelho para se transformar em uma espécie de termômetro social.

Essa constante mudança de comportamento não parou. Na avaliação do diretor da agência de comunicação digital Enkem, David Reck, os brasileiros, hoje, passaram a ignorar as características de o aparelho ser apenas um "celular", e querem, cada vez mais, incorporar as funções de um computador neles.

“Eles [os celulares] estão fazendo tudo o que fora prometido há 10 anos: acessibilidade. O consumidor não busca apenas falar, mas sim acessar e-mails, tirar fotos e navegar pela Web”, diz Reck.

Em função da conectividade como um todo, os usuários podem se localizar pelos mapas, acessar e-mails, entrar na internet, facilitar a comunicação com o uso do SMS, entre outros benefícios importantes.

"Houve uma revolução nos meios de comunicação nos últimos anos e, com certeza, o celular foi um dos precursores disso tudo", afirma o diretor da E-Net Security e autor do livro “Manual do Detetive Virtual”, Wanderson Castilho.

Tarifas

Embora o Brasil tenha demonstrado velocidade no uso das mais inovadoras tecnologias e na inclusão social na área de telefonia móvel, um outro fator tem se revelado incompatível a essa realidade: as altas taxas cobradas pelos serviços de celular.

O Brasil possui a tarifa de pacote de dados de celular mais cara entre os países em desenvolvimento, de acordo com estudo da ONU (Organização das Nações Unidas), em parceria com a Nokia Siemens.

Foram 78 países pesquisados, e apenas no Brasil e Zimbábue o preço médio mensal do pacote ultrapassa a cifra de US$ 120 (R$ 199), valor 2,6 vezes maior que a média geral constatada pela ONU, de US$ 46,50 (R$ 77).

No estudo, o pacote médio mensal de dados móveis é caracterizado por 165 minutos de conversação, 174 mensagens de texto, uma mensagem de foto, um download de toque e 2,1 megabytes em transferência de dados.
 

Leia Também