Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

luto

Célia Pereira Figueiredo é sepultada em Campo Grande

25 MAR 2011Por Maria Matheus17h:00

Parentes, amigos e autoridades políticas participaram hoje, no Cemitério Parque das Primaveras, do velório e sepultamento de Célia Pereira Figueiredo, mãe de Ester Figueiredo Gameiro, diretora-presidente do jornal Correio do Estado, Beatriz Figueiredo Dobashi, secretária de Estado de Saúde e João Figueiredo Filho, músico. Ela morreu às 5h30min desta sexta-feira, no Proncor de Campo Grande, aos 87 anos.

Célia Figueiredo dedicou mais de 40 anos ao trabalho voluntário na Sociedade São Vicente de Paulo, cujos principais objetivos são assistir os menos favorecidos e evangelizar comunidades carentes. Foi presidente e tesoureira da Conferência de Nossa Senhora Auxiliadora e secretária do Conselho Central.

“Ela sempre se dedicou à Conferência, era a vida dela. Depois que crescemos, ela se entregou completamente: ajudar sempre, sempre. Na verdade, é um trabalho de formiguinha. Pedir para quem tem para dar a quem não tem”, comentou Ester Figueiredo.

A amiga e também vicentina Matilde Vieira disse que o trabalho vicentino era a prioridade de Célia. “Ela se dedicou inteiramente aos pobres. Deixava de ir em festas e reuniões para não perder compromissos com os vicentinos. Para ela, o pobre estava acima de tudo. A quantidade de flores aqui mostra a dedicação dela ao próximo”, disse, mostrando as dezenas de coroas de flores enviadas por amigos e familiares.

“O trabalho dela foi muito importante. Se fosse por ela, diria: não mandem flores, mandem dinheiro para comprar alimento aos pobres”, completou Gabriel Medina, ex-presidente do Conselho Central da Sociedade São Vicente de Paulo.

Para Olica Paula Vieira, que pertence à Conferência de Nossa Senhora Auxiliadora, Célia era “um baluarte” dos vicentinos. “Era muito amiga, conselheira, uma pessoa correta. Vai fazer muita falta, demais da conta”, constatou, emocionada.

No ano passado, Célia foi homenageada em sessão solene na Câmara Municipal por seu trabalho na Sociedade Vicentina. Na ocasião, disse estar “feliz e maravilhada” com o reconhecimento. “Faço parte dos vicentinos há 40 anos e vou continuar fazendo os trabalhos para ajudar os necessitados até enquanto Deus me der vida e saúde”.

Célia nasceu em Jardinópolis, São Paulo, foi casada com João Figueiredo, também falecido e, além dos filhos, deixou seis netos e uma bisneta.

Leia Também