Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CD une ritmo andino e nordestino

9 ABR 10 - 20h:03

OSCAR ROCHA

 

O Masis Brasil prossegue amanhã, às 10h30min, na Praça Bolívia, no Bairro Santa Fé, a divulgação do primeiro CD, que contou com show na sexta-feira no Sesc Horto. Formado há 7 anos, o grupo caracterizou-se pela divulgação dos ritmos encontrados em alguns países da América do Sul e Central. O projeto vingou com o encontro da cantora Miska e do músico boliviano Edgar Mancilla – atualmente conta com a participação do músico Evaldenir Amaral, que é responsável pela direção musical.

O álbum, que recebeu o título de "Tá Masis", foi produzido de forma independente por meio de aquisição antecipada e rifa de material artístico produzido por Miska, que também é artista plástica. O registro conta com gravações feitas em diferentes épocas. A primeira, em 2005, em estúdio. Na sequência, aparecem gravações ao vivo. Recentemente, o grupo entrou novamente em estúdio para completar o repertório, que conta com canções do Brasil, Bolívia, Argentina, Peru, Porto Rico, totalizando 10 músicas.

Além do núcleo central do grupo, participaram das gravações 17 músicos. Edgar explica que a intenção da formação é aproximar sonoridades distintas. "Num primeiro momento, ritmos como andinos e nordestinos não apresentam aspectos parecidos, mas podem, a partir de certo momento, ter uma aproximação maior", aponta.

Miska destaca a intenção da utilização de instrumentos característicos de certos lugares da América Latina, como zampoña e charanga, em temas brasileiros. Assim como Edgar, ela enfatiza a semelhança de ritmos entre os países dos continente. "Há proximidade muito grande entre eles, por isso nossa intenção é realizar uma integração, produzindo fusão de estilos". Miska conta que durante seis anos produziu e apresentou pela FM Educativa o Programa "Vozes da América", período que entrou em contato com vários ritmos e artistas dos países vizinhos. Edgar conta também com conhecimento amplo da musicalidade do continente.

O encontro deles eles aconteceu na Peña Eme Ene, espaço que existiu em Campo Grande nas décadas de 80 e 90, organizado por Margarida Neder. Para lembrar do período, o grupo regravou a canção "Peña", de Paulo Simões e Guilherme Rondon. Masis significa na língua quechua companheiro. Os músicos se revezam por instrumentos como: quena, zampoña, bombo, charango, chalchas e violão. Na apresentação também podem ser incluídas canções interpretadas por Mercedes Sosa.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Confira o horóscopo deste domingo
ASTRAL

Confira o horóscopo deste domingo

CORREIO RURAL

Fertilizantes: código de uso sustentável recomenda boas práticas

BRASIL

Falta de objetividade na Justiça tem custo alto, diz Alexandre de Moraes

BRASIL

Presidente do Sindicato dos delegados de PF critica Bolsonaro

Mais Lidas