Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 12 de dezembro de 2018

DOURADOS

Cassado, vereador acusa deputados estaduais de receberem mensalão

16 MAR 2011Por ANTÔNIO VIEGAS14h:27

O vereador Junior Teixeira (PDT) foi cassado hoje por 9 votos durante julgamento na Câmara Municipal de Dourados. Ele é acusado de quebra de decoro parlamentar. Somente três vereadores que fazem parte da coligação de Teixeira Jr se abstiveram de votar: Alberto Mendes (PR), Alberto Alves dos Santos, o “Bebeto” (PDT) e Juscimar Arnal (PDT).
O vereador fez a própria defesa, alegando que as denúncias contra ele são ligadas a uma troca de favores entre os vereadores.
Usando como estratégia o contra-ataque Junior Teixeira acusou na tribuna os vereadores do DEM da Câmara de Dourados de receberem mensalinho. Além disso ele disse que tem documentos que comprovam que os deputados estaduais recebem 'sim' dinheiro fora dos salários, corroborando as afirmações feitas pelo ex-deputado Ary Rigo nas gravações entregues à Polícia Federal na Operação Uragano. Na tribuna ele apresentou, cópias de cheques que, segundo ele, são referentes a pagamentos de deputados estaduais que recebiam, nada menos do que R$ 120 mil por mês, de verba desviada do Fundersul - Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul.

Junior Teixeira afirmou que tem todos os documentos em mãos e vai encaminhá-los aos Ministério Público Estadual (MPE) e vai para Brasília para protocolar as denúncias..
Finalmente ele disse acreditar que as denúncias contra os vereadores fazem parte de um complô dos suplentes que estão 'macomunados' para cassar todos os vereadores da casa porque têm interesse em assumir os cargos dos titulares em Dourados.
Teixeira Jr ainda acrescentou que acredita que será absolvido pela Justiça, mas nunca pelos vereadores na Câmara. “Mesmo que eu fosse Jesus Cristo, eu seria julgado e cassado”, finalizou.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também