MATO GROSSO DO SUL

Casos de violência da ditadura militar vão para Comissão da Verdade

Casos de violência da ditadura militar vão para Comissão da Verdade
28/06/2012 18:45 - DA REDAÇÃO


A invasão de um jornal, ocorrido em Campo Grande, o navio que manteve presos políticos em 1964 no município de Corumbá, a expulsão de moradores do povoado de São Carlos (hoje município de Caracol) para instalação de um quartel general, são alguns dos casos registrados na época da ditadura militar que serão encaminhados à Comissão Nacional da Verdade, em Brasília. 

A iniciativa é do Comitê Estadual pela Memória, Verdade e Justiça que se reuniu ontem (27) com o presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Casa, deputado estadual Laerte Tetila.

Atualmente, segundo o Comitê são 30 mil processos referentes ao período da ditadura militar junto à Comissão de Anistia. Destes, mil são de casos ocorridos em Mato Grosso do Sul.

O objetivo do comitê é requerer análise apropriada e mais profunda dos fatos pela Comissão Nacional da Verdade. Segundo o deputado Laerte Tetila, as apurações devem seguir até o fim de 2013. 

Fonte: Assembleia Legislativa de MS

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".